Correio Central
Voltar Notícia publicada em 21/07/2021

Ministro da Educação pressiona governadores por retorno às aulas presenciais

“O Brasil não pode continuar com as escolas fechadas, gerando impactos negativos nas gerações..."

ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou nesta terça-feira (20/7), durante pronunciamento em rede nacional, que o retorno das aulas presenciais é “uma necessidade urgente”. Ele disse que o governo não pode determinar a medida, “caso contrário, já teria feito”, e pressionou os governos estaduais e municipais a tomarem a decisão.

“O Brasil não pode continuar com as escolas fechadas, gerando impactos negativos nas gerações. Não devemos privar os estudantes do aprendizado necessário para a formação acadêmica. Estudos apontam que o fechamento de escolas traz consequências devastadoras, como a perda de aprendizagem, da qualificação para o trabalho e o aumento do abandono escolar, sem falar das implicações emocionais”, falou.

Durante a manifestação, o ministro da Educação ressaltou por várias vezes que a decisão de fechar as escolas em meio à pandemia de Covid-19 foi dos governadores, e não do Executivo federal. “Quero deixar claro que, no Brasil, a decisão de fechamento e reabertura das escolas foi delegada a estados e municípios, não tendo o governo poder de decisão sobre o tema”, disse.

Ribeiro ainda falou que pediu ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que os funcionários da educação fossem priorizados na vacinação, mas que a imunização de toda a comunidade escolar não pode ser condição para o retorno das atividades presenciais.

“O governo fornece protocolo de biossegurança a todas as escolas, da educação básica ao ensino superior. Vale destacar que o MEC investiu mais de 1,7 bilhão para o enfrentamento da Covid”, afirmou.

“O governo federal, desde o inicio da pandemia, trabalha para garantir que o retorno seja seguro. Estamos preparados”, finalizou.

Fonte: metropoles.com