Correio Central
Voltar Notícia publicada em 29/05/2020

Em Ouro Preto do Oeste, Kit Covid-19 com hidroxicloroquina e Ivermectina será fornecido a pacientes

Kit que será fornecido contém Azitromicina, Hidroxicloroquina 400mg, Ivermectina, Vit D 10.000mg e Zinco 66mg.

Redação Correio Central - A prefeitura da Estância Turística Ouro Preto do Oeste (RO), por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSAU), vai apresentar a população na manhã desta sexta-feira (29/05) o Kit Covid-19, que contém cinco medicamentos manipulados, e será utilizado no tratamento com pacientes positivo para o novo coronavírus.  

O Kit é composto de Azitromicina, Hidroxicloroquina 400mg, Ivermectina, Vit D 10.000mg e Zinco 66mg. Quando o paciente receber o exame positivo ele já vai levar o kit para iniciar o tratamento. Cada kit está custando média de R$ 20,00 ( vinte reais). 

O prefeito Vagno Gonçalves Barros (MDB) e o secretário municipal de Saúde Cristiano Ramos Pereira devem fazer um pronunciamento oficial por meio de uma live para informar como será o procedimento para uso do kit de medicamentos.

O prefeito destacou que, antes de tomar a decisão de fornecer o kit, ele e o secretário mantiveram diversas reuniões com o corpo médico da rede de saúde municipal e do Hospital Municipal, e foram feitas troca de informações com médicos de fora do estado e dos municípios de Rondônia que estão lidando na linha de frente no combate ao coronavírus.  

Para o prefeito, a politização do uso ou não da hidroxicloroquina tem prejudicado o desenvolvimento de protocolos de medicação no país, mas a combinação de medicamentos tem dado resultados positivos e reduzido mortes em muitas cidades brasileiras. “Nós fizemos um trabalho de pesquisa, de bastidores junto com médicos, a equipe multidiciplinar, enfermeiros, farmacêuticos, e decidimos pelo kit com medicamentos porque a gente não quer que as pessoas venham a morrer em nosso município”, argumentou Vagno Panisoly.

O prefeito mencionou que até o protocolo utilizado pela médica brasileira Marina Bucar, que reside em Madri, é coordenadora científica da Universidade de Zaragoza e médica intensivista no Hospital HM Puerta del Sur foi levado em conta para a tomada de decisão.

Ela trabalhou na linha de frente da cura de 600 pacientes com uso de Hidroxicloroquina e zinco leves de casos leves de paciente em tratamento domiciliar, e anticoagulante e corticoides em pacientes internados.

O médico Davi Siqueira, que é Diretor Técnico do Hospital Municipal Dra. Laura Maria Carvalho Braga, também trocou informações com médicos de Rondônia que estão no enfrentamento da Covid-19 e estão buscando meios de achar protocolos de medicamento eficiente.

Em Cacoal, por exemplo, os médicos que tratam de pacientes com Covid-19 de caso leve, moderado e nas UTIs têm utilizado no protocolo Hidroxicloroquina, Azitromicina, o corticoide nos pacientes da UTI e até o momento o município não registrou nenhum óbito.

Na pesquisa de troca de informação realizada pela equipe médica de Ouro Preto do Oeste, constatou-se que no caso de Porto Velho a maioria dos óbitos são de pessoas com muita comorbidade, pacientes graves com hipertensão e diabetes descompensada ou com problemas pulmonares que já chegam grave e sobrevivem pouco tempo na UTI.  

O médico Davi Siqueira sugeriu que, além do kit, os médicos da rede pública em Ouro Preto do Oeste poderão receitar vitamina C e D manipulado, à parte, para os pacientes.

O secretário Cristiano Ramos Pereira informou que, inicialmente, a SEMSAU vai adquirir 100 kits para iniciar o protocolo com pacientes positivo para Covid-19. “A dificuldade vai ser a gente adquirir a medicação que cada dia está mais escassa, mas estamos nos esforçando para comprar o quanto pudermos”, concluiu.  

EM OURO PRETO DO OESTE, PACIENTES QUE FOREM DIAGNOSTICADOS COM COVID-19 VÃO RECEBER O KIT DE MEDICAMENTOS ASSIM QUE RECEBER O RESULTADO DE TESTE POSITIVO 

O KIT É COMPOSTO DE AZITROMICINA, HIDROXICLOROQUINA 400MG, IVERMECTINA, VIT D 10.000MG E ZINCO 66MG. MÉDICOS PODERÃO RECEITAR VITAMINA C E D MANIPULADO, À PARTE, PARA OS PACIENTES.

Fonte: www.correiocentral.com.br