Correio Central
Voltar Notícia publicada em 18/06/2017

Jovem de 22 anos é assassinado em Ouro Preto do Oeste com um tiro no coração, na Avenida Jorge Teixeira

O jovem pediu um cigarro para um estranho que negou; ele saiu e voltou armado com uma faca, mas o desafeto tinha um revólver na cintura e o matou

Um jovem de 22 anos foi assassinado a tiros na madrugada deste domingo (18) em Ouro Preto do Oeste, por volta de 2h30, após se envolver em uma briga com um desconhecido em um bar da Avenida Jorge Teixeira, no Jardim Novo Estado.

Ao partir para cima do desconhecido armado com uma faca, o jovem Paulo Pereira foi atingido com dois tiros no peito, um dos dois disparos que o atingiu transfixou o coração e ele morreu antes de receber os primeiros socorros no hospital municipal.  

Paulo Pereira, que residia no Jardim Novo Horizonte, à rua Nubio de Souza, foi assassinado por um rapaz, cuja identidade ainda é desconhecida, que negou a ele um cigarro, e ambos tiveram um bate-boca e troca de ofensas que culminou no homicídio momentos depois.

Paulo saiu do bar na companhia de um amigo e minutos depois retornou para o mesmo local, e ao sacar a faca o desafeto revidou sacando de uma arma de fogo, calibre 22, e disparou duas vezes contra o jovem, atingindo-o no peito.

O atirador também teria disparado duas vezes mirando o amigo de Paulo, de nome Eduardo, que se escondeu atrás de uma Van estacionada em frente ao bar. Atingido no peito, Paulo saiu correndo, desceu a rua Getúlio Vargas e caiu na calçada entre o forró do Gauchinho e uma oficina de lanternagem de veículos.  

De acordo com testemunhas, a vítima bebia na companhia de amigos no bar 360 Graus, e se dirigiu até a mesa do desconhecido que estava na companhia de uma garota e de um casal, e pediu a ele um cigarro.

A negativa em dar o cigarro a Paulo gerou uma discussão e, segundo um amigo de Paulo, ele disse que o desafeto tinha “embaçado” com ele e o teria ameaçado, por isso iria se armar com uma faca para se defender.

Paulo então se dirigiu até a casa de Eduardo para buscar um pacote de fumo extra-forte, mas segundo o declarante, ele foi ao banheiro da residência e também pegou uma faca, alegando que era para se defender, e a escondeu nas imediações, próximo do bar onde bebia mais os amigos, e quando se dirigiu ao bar 360 Graus foi surpreendido porque seu desafeto portava um revólver na cintura.

A vítima foi socorrida por um irmão que se encontrava num dos bares da avenida Jorge Teixeira, e com a ajuda de um desconhecido o socorreu ao Hospital Municipal Laura Maria Carvalho Braga, mas o jovem não resistiu e veio a óbito.  

A ocorrência policial foi registrada pela guarnição (CPL 60079) da Polícia Militar, composta dos soldados PM Rosana, Maciel e Messias. O corpo de Paulo Pereira está sendo velado na capela da funeraria da Associação Vida Nova.  

PAULO PEREIRA LEVOU UM TIRO FATAL QUE TRANSFIXOU O CORAÇÃO DELE E VEIO A ÓBITO NO HM DA CIDADE

 

Fonte: www.correiocentral.com.br