Correio Central
Voltar Notícia publicada em 25/05/2018

Caminhoneiros parados em Ouro Preto pedem redução do imposto sobre combustível em Rondônia

“O que acontece, é que a alíquota aqui no estado é a mais cara do país, se agente comparar com São Paulo e o Paraná a diferença é de cinco por cento a mais”.

Em vídeo gravado no ponto de paralisação dos caminhoneiros em Ouro Preto do Oeste, representantes do setor de transporte de produtos que são exportados de Rondônia para países vizinhos como o a Bolívia e o Peru, pedem ao governador mais atenção com relação as alíquotas de imposto sobre combustíveis que é praticada no Estado.

O mesmo apelo é feito para os representantes do Poder Legislativo, como os deputados estaduais, federais e os senadores. “O que acontece, é que a alíquota aqui no estado é a mais cara do país, se agente comparar com São Paulo e o Paraná a diferença é de cinco por cento a mais”, diz o empresário Renato Custódio, da empresa RCS Corretora e Distribuidora de Cereais.

Essas empresas transportam milho a granel para países vizinhos, levam matéria prima agrícola, de comércio varejista, diversos produtos e alimentação para bovinos produzidos em Rondônia, e também reclamam do valor do ICMS cobrado sobre os combustíveis no estado.

O empresário destacou que, não é apenas abaixando o preço do litro do diesel para os caminhoneiros que vai resolver o problema, e afirma que os empreendedores do setor de transporte de produtos do agronegócio também não estão conseguindo trabalhar.

O vídeo publicado nesta reportagem foi enviado para o presidente da Assembleia Legislativa, para o deputado líder do governo e para congressistas rondonienses, mas até a noite de quinta-feira (24) nenhum deles responderam a mensagem.

Fonte: www.correiocentral.com.br