Correio Central
Voltar Notícia publicada em 23/05/2019

Em Rondônia, PRF utiliza drones na BR-364 a fim de mudar o comportamento de motoristas

Todas as Delegacias da PRF no estado já contam com o drone e o agente capacitado para monitorá-lo.

Edmilson Rodrigues - As rodovias federais no estado de Rondônia já são fiscalizadas por videomonitoramento aéreo com o uso de drones que a Polícia Rodoviária Federal considera ser uma importante ferramenta no combate a imprudência e redução de infrações de trânsito que têm causado acidentes catastróficos no eixo da BR-364.   

O Núcleo de Comunicação da PRF em Rondônia confirmou que todas as Delegacias do estado já contam com drone, e que gradativamente vem sendo feita a implementação do uso do aparelho que pode coletar imagens até sete quilômetros de onde o agente está operando, o que torna o acessório uma ferramenta de longo alcance que amplia o raio da fiscalização na BR-364, pois pode identificar o modelo e placa do veículo para posteriormente ser feita a análise das imagens.  

A PRF também informou que, a priori, o drone vem sendo usado apenas como auxílio para captar imagens e no monitoramento em trechos perigosos, mas que ainda não estão sendo lavradas multas de infração de trânsito e nenhum condutor em veículo monitorado com o equipamento foi multado nas rodovias federais do estado.

Todavia, muito em breve quando a PRF estiver fiscalizando as BRs no estado e flagrar um condutor em atitude irregular a viatura vai se deslocar e abordá-lo no posto mais próximo, tendo em vista que o monitoramento aéreo com drone é devidamente regulamentado, e os patrulheiros rodoviários federais receberam treinamento para operá-lo.     

A PRF Ângela Brondolo, Chefe da 2ª Delegacia em Ji-Paraná, destacou durante a abertura da 8ª Rondônia Rural Show que uso de drone é autorizado por meio da Instrução Normativa Nº102, publicada no dia 26 de setembro de 2017, que estabelece normas para o uso de Veículos Aéreos Remotamente Tripulados – RPAs – no âmbito da PRF.

“Nós estaremos trabalhando tanto com a análise posterior das imagens colhidas pelo drone, que é a fiscalização por videomonitoramento, quanto nós o utilizamos também pra observar a infração num ponto e fazermos a abordagem em outro ponto”, enfatizou a PRF Brandolo.

A partir deste ano, PRFs que têm cadastro de piloto no SARPAS (Solicitação de Acesso de Aeronaves Remotamente Pilotadas) do DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo) que é vinculado a Aeronáutica, estão pondo em prática nas rodovias federais ações com esta nova ferramenta de combate as infrações de trânsito a fim de reduzir o índice de acidentes fatais que são registrados no país.     

Inicialmente foram realizados testes no Mato Grosso do Sul (MS), em seguida a PRF elaborou um Manual de Procedimento RPA/DRONES e policiais foram capacitados para operar drones.

A PRF Brandolo reforça que a utilidade do monitoramento aéreo não se trata de mais um instrumento para aplicar multas, mas é fundamental no propósito de ampliar para o condutor de veículo na BR a sensação que ele está sendo sempre fiscalizado, de maneira que não incorra em infrações imprudentes que ceifam vidas, e para que aqueles que cometem constantes irregularidades comecem a mudar o seu comportamento.  

 “Porque nós temos duas maneiras de respeitar a Lei. Uma porque nós desenvolvemos o valor de que, independente de estarmos sendo observados ou não, por uma questão de convicção pessoal nós obedecemos a legislação. Então, onde quer que você esteja você sempre vai cumprir com a lei. O drone é justamente para que a pessoa que não faz isso por convicção, faça pela sensação de estar sendo observado”, concluiu.

Entretanto, os motoristas usuários da rodovia federal podem ficar cientes que, num futuro próximo, com as imagens colhidas das infrações pelo drone, a Polícia Rodoviária Federal vai analisar o grau da irregularidade, fazer o auto de infração e encaminhar depois para o proprietário do veículo.

Na região de Caxias do Sul (RS), durante uma operação na BR, em agosto de 2018, a PRF utilizou imagens de drone como prova e aplicou auto de infração em oito motoristas por ultrapassagem em local proibido, multou dois condutores falando ao celular, um motorista por executar retorno nas curvas e outros em desacordo com a legislação.

Em Mato Grosso do Sul, a PRF pendeu uma quadrilha que levava carros roubados para o Paraguai e aprendeu contrabandistas de cigarros.

Drone flagra ultrapassagem indevida e imagens servirão de provas para punir motoristas infratores

Imagens: arquivo PRF

Fonte: www.correiocentral.com.br