Correio Central
Voltar Notícia publicada em 08/09/2018

Delegado Cristiano Mattos pede a divulgação do disque 188 de combate ao suicídio em RO

Delegado lembra que o disque 188 funciona 24 horas e auxilia pessoas com graves problemas que podem levar ao suicídio.

A Delegacia Especializada na Repressão de Crimes contra a Vida (DERCCV) do município de Ji-Paraná também aderiu à Campanha mundial do Setembro Amarelo que visa prevenir à prática de suicídio que vem aumentando a cada ano, com dados atualizados em 2018 de que esta já é a segunda maior causa de mortes em jovens de 15 a 29 anos e a principal entre mulheres de 15 aos 19 anos.

O delegado Cristiano Mattos, titular na Delegacia Especializada que apura crimes de Homicídios em Ji-Paraná, chama a atenção da população regional para Centro de Valorização da Vida (CVV), que através do telefone 188 que oferece ajuda para pessoas que querem conversar sobre o assunto e não encontram auxílio ou confiança para falar do assunto em seu meio de convivência.  

“Seria ótimo divulgar esses canais a fim de chamar a atenção sobre esse grave problema de saúde pública, bem como instruir as pessoas para buscarem ajuda procurando um profissional de saúde através do telefone 188 do CVV, em funcionamento 24 horas por dia”, disse em nota o delegado.

Dados atualizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) revelam que, a cada 40 segundos, uma pessoa morre por suicídio no mundo.

Ainda segundo a OMS, o número de óbitos autoprovocados é quase o dobro dos crimes de homicídio. São 800 mil suicídios por ano, contra 470 mil mortes por homicídio.

 O número 188 do CVV é uma ferramenta com canais de ajuda. Os chats de internet de autoajuda são eficientes, e além de auxiliarem as pessoas com problemas também combatem os canais do submundo da internet que propagam o suicídio como foi no caso do app Baleia Azul.

Publicação do jornal A tribuna, de 29 de abril deste ano, revela que os últimos casos de suicídios de jovens em São Paulo (SP), foram relacionados, inicialmente, ao uso do aplicativo SimSimi, o que até agora não pode ser comprovado.

  

Tabela: atribuna - foto delegado: J. Nogueira - Diário da Amazônia. Texto: Edmilson Rodrigues - Correio Central

Fonte: www.correiocentral.com.br