Correio Central
Voltar Notícia publicada em 10/04/2019

Confirmados dois casos de paciente com suspeita de H1N1 em Ouro Preto do Oeste

A Secretaria de Saúde confirmou o envio de duas amostras de material de uma idosa para o Lacen em Porto Velho.

A cidade de Ouro Preto do Oeste tem dois casos de pacientes com suspeita de estarem infectadas pela gripe influenza A/H1N1, que ficou conhecido por gripe suína, e circula livremente pelo país. Os pacientes seria uma criança e uma idosa.

A Secretaria Municipal de Saúde (SEMSAU) não confirmou os casos de suspeita. No caso da paciente idosa que está internada em um hospital particular da cidade foi colhido material para exame ontem e houve uma segunda coleta na manhã desta quarta-feira, e um veículo da SEMSAU se deslocou está tarde para o Laboratório Central de (LACEN) em Porto Velho para ser analisado.

Quanto a criança que está com suspeita de portar o vírus, a reportagem apurou que houve uma solicitação, por parte de uma médica de outro hospital particular, do medicamento antigripal Tamiflu (Oseltamivir phosphate) para tratar a Influenza A/H1N1 que só é fornecido pelos hospitais públicos regionais.

O Tamiflu, é um medicamento que não é vendido em farmácias, só é fornecido pelos hospitais da rede pública de saúde, e é indicado em casos graves de H1N1 como os que envolve doentes crônicos, gestantes, idosos e crianças.

Somente no vizinho Estado do Amazonas, mais de 30 pessoas já morreram por causa da doença e, por essa razão, o Secretário de Estado da Saúde Fernando Máximo gravou uma mensagem de vídeo convocando a população de Rondônia para a vacinação, e fazendo o alerta do alastramento da Influenza A/H1N1 no Amazonas (VEJA VÍDEO ABAIXO).   

o vírus H1N1 é um subtipo de influenzavírus do tipo A resultado da combinação de segmentos genéticos do vírus humano da gripe, do vírus da gripe aviaria e do vírus da gripe suína.

O período de incubação da doença é de três a cinco dias. A transmissão se dá pelo contado direto com os animais ou objetos contaminados e de pessoa para pessoa, por via aérea ou por meio de partículas de saliva e de secreções das vias respiratórias. A transmissão do vírus H1N1 pode ocorrer antes de aparecerem os sintomas.

VEJA VÍDEO DO SECRETÁRIO ESTADUAL DE SAÚDE ALERTANDO A POPULAÇÃO DE RONDÔNIA:

Fonte: www.correiocentral.com.br