Correio Central
Voltar Notícia publicada em 07/02/2020

Sextorsão em Ouro Preto do Oeste: Homens enviam nudez e vídeos a mulher e são extorquidos

Homens trocaram nudes com mulher pelas redes sociais e agora estão sendo ameaçados de ter as fotos e vídeos divulgadas.

A Polícia Civil em Ouro Preto do Oeste (RO) faz o alerta para o golpe conhecido por “Sextorsão”, que designa a prática de ameaça de exposição de vídeos eróticos e fotos íntimas enviadas, espontaneamente, por homens seduzidos por supostas mulheres. Depois, eles são extorquidos financeiramente sob a ameaça de divulgação do conteúdo para seus familiares, a amigos e nas redes sociais.

Todas as vítimas, por enquanto, são homens, e a Polícia Civil já registrou três casos na cidade de Ouro Preto do Oeste em menos de dois meses, segundo revela o delegado Niki Alves Locatelli, titular da Delegacia Civil localizada na Unisp - Unidade Integrada de Segurança Pública.

Uma vítima procurou a Delegacia Civil local na última quarta-feira (5), os outros dois casos foram registrados em dezembro passado. Segundo a polícia, o criminoso aparentemente é uma mulher, ou usa de recursos de tecnologia para se passar por mulher. A reportagem apurou que uma vítima que não pagou a extorsão solicitada se desesperou ao saber que sua filha havia recebido imagens de nudes pelo WhatsApp.

A polícia acredita que há mais vítimas na região, mas que temendo a divulgação do material conseguido pela golpista, que caiu nas mãos dos golpistas acaba pagando a extorsão solicitada. 

A investigação aponta até o momento que, em alguns casos, o criminoso (a) se passando por mulher, troca nudes e vídeos e além de ameaçar espalhar fotos e vídeos gravados ao longo do relacionamento online com a vítima, também inventa que é menor de idade e ameaça que vai espalhar nas redes sociais que o indivíduo é pedófilo. 

“Na verdade é uma espécie de estelionato com extorsão. O criminoso se aproxima da vítima, começa a trocar informações, começa a ‘dar mole’ para a vítima e pede fotos íntimas”, detalha o delegado.

Na empolgação do erotismo virtual, as vítimas acabaram mandando fotos íntimas com a exposição do rosto para os criminosos que passaram a extorquir exigindo dinheiro, sob a ameaça de enviar as fotos para familiares. No decorrer do relacionamento ‘apimentado’, eles passam a conhecer a vida da pessoa e de seus familiares, através de pesquisas no facebook e em outras redes sociais.

“Com base nessa troca de nudes e de imagens sexuais, eles exigem uma quantia em dinheiro sob a ameaça de espalhar as fotos. Não existe crime específico pra isso, mas na polícia é tratado como extorsão”, define o delegado.

A polícia orienta possíveis vítimas a procurar a Delegacia Civil, tendo em vista que se os golpistas já tiverem imagens ou vídeos em seu poder eles não irão parar com as extorsões. Com a denúncia registrada na Delegacia, existe a possibilidade de a Polícia Judiciária chegar aos criminosos, identifica-los e prendê-los.

PÁGINA NA INTERNET OFERECE AJUDA AS VÍTIMAS

O crime denominado de Sextorsão não é novo, e o perfil das vítimas não é apenas de homens que buscam prazer e erotismo nas redes sociais sem se preocupar com a possibilidade de caírem nas mãos de estelionatários preparados para agir de maneira a extorqui-los após conseguir imagens ou vídeos comprometedores.

A plataforma www.sextorsão.com.br é uma página onde usuário é guiado para o site new.safernet.org.br que dá dicas e orienta os usuários das redes sociais que eles devem ficar alertas para as armadilhas espalhadas pelos golpistas nas plataformas, e sempre deve suspeitar de desconhecidos e desconhecidas que enviam convites de amizade ou mensagens pelo whatsApp aparentemente sem nenhuma malícia, mas com a intenção de fazer uma aproximação, e iniciar o processo de tentativa de aplicar o golpe.

O site ensina que o termo Sextorsão “é a ameaça de se divulgar imagens intimas para forçar alguém a fazer algo – ou por vingança, ou humilhação ou extorsão financeira”.

E conclui que essa prática “é uma forma de violência grave, que pode levar a consequências estremas como o suicídio”.

 

 

Fonte: www.correiocentral.com.br