Correio Central
Voltar Notícia publicada em 07/10/2020

Servidor da EMATER e candidato é acusado de comprar gado furtado; filho de canditato a prefeito transportou animais

O servidor é filho da vereadora e sobrinho do prefeito de Mirante da Serra e de 2 vereadores; o filho de candidato a prefeito Nova União transportou o gado furtado.

ATUALIZADO E CORRIGIDO: Um furto de gado que, até o momento, chega a 58 cabeças de animais em uma propriedade rural do município de Nova União e, provavelmente Mirante da Serra, vai balançar a estrutura moral de dois candidatos a prefeito, de vereadores que tentam a reeleição e do suspeito de arquitetar o furto que é servidor da EMATER, e candidato a vereador na cidade.

Os donos do gado tomaram conhecimento no último sábado, por uma denúncia anônima, que o vaqueiro da propriedade tinha vendido 18 cabeças de vacas PO prenhas para o servidor do órgão de assistência técnica do governo do Estado e candidato da família Andrade, que é filho de uma técnica em enfermagem no hospital da cidade e vereadora de vários mandatos, é sobrinho do atual prefeito Adinaldo de Andrade (MDB) e de dois vereadores do município de Mirante da Serra, e de um empresário conhecido de Ouro Preto do Oeste, que em Mirante da Serra é tido como um abastado pecuarista.

O filho de um candidato a prefeito de Nova União é o acusado pelas vítimas de ter transportado o gado furtado e negociado com o servidor da EMATER e candidato a vereador, que teria negociado as cabeças de vaca a R$ 170,00 a arroba com o vaqueiro que confirmou a situação, e que cometeu o delito. Os donos dos animais afirmam que as vacas valem em torno de R$ 4 mil cada. No primeiro momento, o servidor da EMATER teria dito que não ia devolver as vacas porque tinha vendido para um frigorífico.

No entanto, como o servidor da EMATER e candidato tomou conhecimento que as vítimas tinham áudios seus negociando o furto com o vaqueiro, e a afirmação que o filho de candidato a prefeito de Nova União está envolvido no transporte dos animais, temendo um escândalo e uma possível reportagem sobre o crime, ele iniciou uma tentativa de devolver as vacas, e quando o caminhão chegou à propriedade com os animais furtados a Polícia Militar estava no local, flagrando o fato relatado pelas vítimas.

Ocorre que, os donos do gado fizeram uma recontagem e descobriram que está faltando mais 40 cabeças de gado que provavelmente foram furtadas, e o crime ganhou proporções ainda maiores.

A Polícia Civil de Ouro Preto do Oeste está tomando na manhã desta quarta-feira (07) o depoimento de duas vítimas de furto grande quantidade de gado em uma propriedade rural do município de Nova União, e também do acusado e do vaqueiro.

ENTENDA O CASO

Imagem do momento que parte do gado furtado era devolvido; policiais militares acompanharam a ação

O gado teria sido negociado pelo vaqueiro que é registrado como funcionário da propriedade com o servidor da EMATER que é candidato a vereador no município. O candidato a vereador tentou devolver parte do gado transportado pelo filho do candidato a prefeito e foi surpreendido no sítio pelos donos dos animais, e pela PM.

As vítimas afirmam que o medo maior do autor do fato era que essa informação do furto vazasse e prejudicasse o clã político do candidato. Os dois acusados estão sendo ouvidos na Delegacia Civil, a publicação não tem informações se eles serão presos ou irão responder em liberdade pelo furto do gado. Os donos dos animais furtados afirmaram esta manhã que apenas 18 cabeças foram devolvidas.

A EDITORIA NÃO SE RESPONSABILIZA CASO ESSA MATÉRIA SEJA EXTRAÍDA DA PLATAFORMA, TENDO EM VISTA QUE O SITE É BLOQUEADO. 

  

Fonte: www.correiocentral.com.br