Correio Central
Voltar Notícia publicada em 17/05/2020

Homem é assassinado a tiros e pauladas na cidade de Nova União, RO

Valdete Melo foi morto na cozinha de casa, ele sofreu pauladas na cabeça e foi executado com vários tiros.

ATUALIZADO -O município de Nova União (RO) registrou um homicídio na noite da última sexta-feira (15) na área urbana da cidade, um homem de 45 anos, identificada por Valdete Alves Vieira

Anos, foi agredido a golpes de pauladas na cabeça, e depois executado com vários tiros.

Valdete foi morto na cozinha de casa, ele sofreu vários golpes de paulada na cabeça, e foi alvejado ao menos por quatro tiros na altura do peito e no rosto. Uma testemunha informou que teria visto dois elementos encapuzados, saindo correndo da casa da vítima a pé, em direção à linha conhecida por "quarentinha".

De acordo com o Boletim de Ocorrência da Polícia Militar de Nova União, por volta das 19h25min de sexta, a guarnição de serviço recebeu a informação da Central de Operações da corporação (190) que disparos de arma de fogo foram ouvidos por populares na Rua Belo Horizonte.

Logo em seguida, chegou à informação de que se tratava de execução de um residente da cidade de Nova União, e a guarnição já estava em deslocamento para o local, onde constatou a veracidade dos fatos.

Segundo informações coletadas com o irmão da vítima, que mora perto, Valdete Vieira havia cometido um feminicídio contra sua esposa no ano de 2008, que teria ocorrido em Ouro Preto do Oeste, mas ele já havia cumprido pena, e estava em liberdade condicional.

O irmão acrescentou que Valdete estaria recebendo ameaças frequentes de pessoas ligadas a vítima que ele matou e que toda a família estava temerosa e preocupada, em razão das supostas ameaças, porém não revelou nomes. Ao final, ele relatou aos PMs que logo que ouviu os disparos, correu para a casa do irmão. Ao chegar ao local, encontrou a vítima caída, já sem vida, na cozinha da casa.

A Polícia Técnico-científica (Politec) da Polícia Civil foi acionada em Nova União para procedimentos de perícia. As peritas Ana Luiza Garção e "Jeovana Camargo realizaram os trabalhos de praxe, a coleta de provas na cena do crime, e em seguida a funerária de plantão recolheu o corpo do local.

A PM informou que não foram localizadas outras testemunhas que pudessem prestar outras informações sobre o homicídio.

Fonte: www.correiocentral.com.br