Correio Central
Voltar Notícia publicada em 16/04/2021

Em Rondônia, polícias Civil e Federal já investigam supostas fraudes com recurso da covid-19

Em 2020, a PF realizou as Operações Dúctil e Polígrafo; a Polícia Civil desencadeou a Operação Ateleia em 3 municípios do estado.

A criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai apurar eventuais omissões do governo federal no combate à pandemia da covid-19, e sobre como os estados e municípios administraram em 2020 as verbas destinadas para o enfrentamento do caos que se instalou no sistema de saúde do país, já faz surgir em Rondônia rumores denuncistas, publicações de conteúdo político e prospecções nas redes sociais contra autoridades estaduais e ex-gestores municipais.

É fato que membros do governo estadual, ex-prefeitos, e mesmo reeleitos estão com a barba de molho com a ampliação das investigações. No entanto, as apurações em curso, conduzidas pela Polícia Civil Judiciária, e pela Polícia Federal no estado de Rondônia, é uma realidade, o trabalho de investigação ainda corre em segredo de justiça, e a verdade virá à tona.  

O senador Marcos Rogério (DEM), é o único congressista de Rondônia entre os 11 titulares que farão parte da comissão formada no Senado para investigar a CPI da covid-19.

Gestores do mandato anterior e reeleitos utilizaram verba extraordinária em valores estratosféricos, e há indícios de supostas fraudes em licitação, desvio de verba para covid-19 para outras finalidades, além de outras possíveis irregularidades.

Em 2020, órgãos do governo estadual, políticos e empresas de Rondônia e de outros estados foram alvos de duas operações da Polícia Federal – “Operação Dúctil”, deflagradas em 10 de junho, e “Operação Polígrafo”, desencadeada no dia 30 de julho”. As ações tiveram a participação da Controladoria Geral da União (CGU) e o Ministério Público Federal (MPF). 

A primeira, investiga esquema de fraudes na aquisição emergencial de materiais e insumos médico-hospitalares para atendimento da demanda nas unidades de saúde estaduais no enfrentamento à pandemia da covid-19. Houve cumprimento de mandados em Porto Velho, Rolim de Moura e São Miguel do Guaporé.

Já a Operação Polígrafo, deflagrada no mês seguinte, investiga fraude de possível superfaturamento em licitação de 100 mil kits de teste rápido de diagnóstico de covid-19 na Secretaria Estadual de Saúde – Sesau/RO.

Imagem: Operação Polígrafo-PF/RO

A Polícia Civil realizou em dezembro de 2020 a “Operação Ateleia”, que alcançou três prefeituras do interior do estado e também teve como alvo um deputado estadual que enviou recurso por meio de emenda parlamentar a esses municípios para aquisição de testes rápido para diagnóstico de covid-19.

Entre boatos e verdades alardeadas por políticos, assessores, partidários e mesmo setores da imprensa rondoniense, que lançam várias versões, apontam este ou aquele político, de olho na sucessão estadual de 2022, é bom que fique claro aquele ditado que diz ‘falar até papagaio fala’.

As ilações e versões são inúmeras e incalculáveis, mas a verdade é uma só.      

Fonte: www.correiocentral.com.br