Correio Central
Voltar Notícia publicada em 14/07/2021

Em Ouro Preto (RO), autor de assassinato diz que levou um soco no rosto e foi furtado

O corpo da vítima não foi identificado. O autor do homicídio disse que além de apanhar de Índio, ele lhe furtou cachaça e objetos pessoais.

A Polícia Civil conseguiu elucidar em menos de 2 horas o homicídio violento praticado na madrugada de terça-feira na Estância Turística Ouro Preto do Oeste, que ceifou a vida de um estrangeiro, ainda não identificado, cujo corpo se encontra na funerária Paxpassbom Passport.  

O corpo passou por procedimento de tanatoplaxia, técnica que permite a conservação do cadáver por até uma semana.  

Caso não seja identificado, ou apareça um parente, a vítima será enterrada como indigente, tendo em vista que a Polícia Civil vai enviar coleta de dados digitais e de material genético da vítima para a Politec, e para a Polícia Federal para apurar se o estrangeiro registrou sua entrada no país.   

Edmilson Barbosa de Oliveira, autor do homicídio, confessou o crime e foi encaminhado para a Casa de Detenção da cidade. O autor do assassinato é de Ouro Preto do Oeste, e teria retornado da cidade de Mineiros (GO) há quatro meses. Edmilson foi capturado no momento que subia em uma mototaxi para seguir até a rodoviária para fugir da cidade.        

O suspeito foi interrogado pelo delegado Niki ALves Locatelli e em depoimento expos uma série de fatos que teriam ocorrido entre Edmilson e o estrangeiro ainda sem identificação, que era chamado de “Índio”, entre a noite de domingo e a de segunda-feira, véspera da madrugada do crime.  

O autor do homicídio disse que no domingo Índio lhe pediu uma dose de pinga e ao negar o réu teria sido agredido com um soco no rosto desferido pela vítima, que ainda teria tomado o seu corote de pinga. “No dia seguinte o infrator estava dormindo e o índio teria furtado alguns objetos pessoais dele, como fumo ou cigarro e isqueiro, isso já na segunda-feira”, relatou o delegado que continuou.   

“Ele disse que em razão disso esperou a madrugada vir e quando índio foi para baixo da cobertura da loja de material de construção e sentou ele pegou um pedaço de pau de baixo de uma carreta e deu duas pauladas na cabeça da vítima que a levou a óbito”, conclui. 

CORPO DO INDIVÍDUO QUE MORAVA NAS RUAS ESTÁ NA FUNERÁRIA PAXPASSBOM, E DEVERÁ SER SEPULTADO SEM RECONHECIMENTO. 

 

 

Fonte: www.correiocentral.com.br