Correio Central
Voltar Notícia publicada em 08/01/2020

Em Ouro Preto, homem é suspeito de estuprar menor que pode ser sua filha biológica

Mãe procurou o homem para informar que ele poderia ser o pai da menina, e o acusa de ter mantido relações sexuais com a menor.

Redação Correio Central - A Polícia Civil de Ouro Preto do Oeste (RO) investiga um possível crime de estupro de vulnerável, que teria sido praticado por um profissional liberal de 41 anos na semana do Natal, o suspeito teria seduzido a menina mesmo sabendo que ela pode ser sua filha.

A denúncia de estupro envolve a adolescente que o acusado foi informado, antes do envolvimento, que poderia ser uma provável filha biológica dele. A mãe descobriu o caso através de mensagens trocadas pela menina com o homem que ela afirma ser o pai da menor.

A mãe relatou à polícia ter descoberto que ambos estariam mantendo intimidades sexuais através de mensagens de WhatsApp no celular da filha. A comunicante disse ainda que, no conteúdo das mensagens, o acusado marcou um encontro com a menor na noite de 24 de dezembro, e na ocasião a menina manifestou a preocupação de estar grávida.

A vítima, com 13 anos, segundo a mãe, pode ser filha biológica do homem investigado por estupro de vulnerável. Ela denunciou à polícia que há mais de 13 anos teve um relacionamento amoroso com investigado e o procurou no final de 2019 para informa-lo que a relação sexual de ambos pode ter dado origem a menina.

A mãe da adolescente disse que a levou ao local de trabalho do acusado a apresentou como sendo sua filha, e informou que iria iniciar um processo de reconhecimento de paternidade. Ele não teria gostado e houve uma breve discussão.

O caso de denúncia estupro de vulnerável corre em segredo de justiça, e o inquérito é relatado pela delegada Márcia Maria Krause Romero Maia que não se manifestou sobre a investigação.

A reportagem do site Correio Central apurou que a menina já passou por exame de delito, de conjunção carnal, o teste de gravidez e exames de doenças sexualmente transmissíveis. Caso seja confirmado a relação sexual, por se tratar de uma menor com menos de 14 anos, a delegada deverá pedir a prisão do investigado.

A reportagem preserva nomes e endereços dos envolvidos, por enquanto, devido se tratar de um crime envolvendo uma menor de idade.

Fonte: www.correiocentral.com.br