Correio Central
Voltar Notícia publicada em 12/10/2020

Ouro Preto: preso em Vale do Paraíso suspeito de integrar grupo da LCP que matou 2 PMs em Rondônia

O pedreiro Charles Aguimar Rosa, vulgo “Barbicha”, 39 anos, não sabia que havia mandado de prisão preventiva contra ele.

Preso na tarde desta segunda-feira (12) pela Polícia Militar do município de Vale do Paraíso - que pertence à macrorregião de Ouro Preto do Oeste (RO) - o pedreiro Charles Aguimar Rosa, vulgo “Barbicha”, 39 anos, acusado de  ser um dos seguranças do acampamento Tiago Santos da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) na Fazenda Norbrasil (Galo Velho) localizada em Mutum-Paraná, distrito da capital Porto Velho, onde no último dia 3 foram mortos dois policiais militares, e houve confronto com policiais militares que foram ao local resgatar os corpos.

Charles é apontado pela investigação como um dos seguranças do grupo armado do acampamento onde existe a invasão de terras. A Polícia Militar de Vale do Paraíso recebeu a informação que Charles estava na região e distribuiu sua foto nas redes sociais com identificação, e informando que ele é procurado pela Justiça de Rondônia.

Como Barbicha não sabia que havia mandado de prisão preventiva contra ele expedido por um juiz criminal da comarca de Porto Velho, que foi representado pela delegada que conduz o inquérito policial que investiga a morte dos PMs, e o confronto com as forças de segurança do Estado, o acusado procurou o quartel da PM de Vale do Paraíso para dar satisfação, e negar que fizesse parte do bando armado na fazenda invadida.

Os PMs fizeram uma checagem, e confirmaram com a Polícia Civil que o mandado de prisão contra Charles Aguimar ainda se encontrava em sigilo, e não havia sido lançado no sistema. O suspeito foi conduzido para a Delegacia Civil de Ouro Preto do Oeste, localizada na UNISP e foi ouvido pelo delegado Niki Alves Locatelli que remeteu o depoimento do acusado para Porto Velho.

A reportagem do site Correio Central apurou que Charles Aguimar negou qualquer participação nos confrontos que culminou na morte de dois policiais militares e policiais feridos. Ele afirmou em depoimento que tem como provar que estava trabalhando na região de Vale do Paraíso no dia que ocorreu o conflito.

Após ser interrogado, Charles Aguimar Rosa foi encaminhado para a Casa de Detenção de Ouro Preto do Oeste. (Edmilson Rodrigues)

Charles Aguimar Rosa foi interrogado pelo delegado Niki Alves Locatelli e depois foi conduzido para a Casa de Detenção local.

 

Fonte: www.correiocentral.com.br