Correio Central
Voltar Notícia publicada em 11/01/2021

42 anos depois, Ouro-pretense encontra mãe biológica e parentes nas redes socias no Paraná e vai conhecê-los

Pedreiro Pedro Portilho sempre quis conhecer sua família biológica e descobriu a mãe numa cidade do Paraná.

O pedreiro que trabalha como construtor Pedro Lima Portilho nasceu no ano de 1978 no estado do Paraná, na cidade de Santa Izabel do Oeste, mas o destino fez com que ele fosse trazido para Rondônia para ser criado e educado por outra família no município de Ouro Preto do Oeste.

Casado com Rosenilda Oscar kinyps, o casal tem três filhos. O construtor Pedro congrega na Igreja Assembleia de Deus do Bairro Incra com o evangelista Paulo Albino que também é construtor e ambos trabalham juntos.

Em Ouro Preto do Oeste Pedro Portilho cresceu e foi educado por seus pais de criação, que é o casal João Ribeiro Portilho, hoje com 92 anos e Zilda Lima Portilho, de 94 anos. Ambos são aposentados.

No entanto, Pedro sempre quis saber sobre seus pais biológicos e no último ano iniciou uma busca por informações que o levasse até eles. E aos 42 anos de vida, Pedro Portilho enfim descobriu a sua mãe biológica depois de incansáveis buscas e pesquisas através das redes sociais disponíveis no país.

O casal João Ribeiro Portilho e Zilda Lima Portilho são os pais adotivos que criaram e educaram Pedro em Ouro Preto do Oeste

No dia 6 de janeiro ele chegou à cidade de Santa Izabel no Paraná e está visitando sua mãe biológica, irmã e irmãos que não tinha ideia de como eles eram, os tios e muitos sobrinhos.

“Hoje eu tenho o privilégio de conhecer a minha família biológica. A mãe Tereza da Silva, os irmãos Ivanilda Pedroso da Silva, Antônio Pedroso da Silva, Ezoel Pedroso da Silva e vários sobrinhos e tios”, disse Pedro a reportagem do Correio Central, por mensagem do celular.

“Estou vivendo um momento especial na minha vida sou grato a Deus por tudo que está acontecendo”, completou da alegria e o sentimento pelos quais ele passa no Paraná onde permanecerá por mais uma semana antes de voltar para Ouro Preto do Oeste.

Ao lado da mãe biológica Tereza da Silva Pedro Portilho se sente realizado em conhecer a sua origem familiar no Paraná

Na viagem que faz ao Paraná Pedro Portilho não pôde conhecer seu pai biológico João Padilha que já é falecido. “Inclusive eu devo ter uns irmãos por parte de pai aqui no Paraná da família Padilha, eu ainda não encontrei nenhum deles”, disse.

PASSEIOS COM A MÃE, IRMÃ E SOBRINHA QUE NÃO CONHECIA PELA CIDADE DE SANTA IZABEL

A ESPOSA DE PEDRO ROSENILDA OSCAR KINYPS E OS FILHOS DO CASAL NÃO PUDERAM ACOMPANHÁ-LO DEVIDO O TRABALHO DELA

Fonte: www.correiocentral.com.br