Correio Central
Voltar Notícia publicada em 14/04/2020

Professora Genedite se filia ao PV visando as eleições municipais em Ouro Preto do Oeste

“Acredito que pré-candidaturas para nós mulheres é um grande começo e avanço. Acredito que é uma decisão devidamente bem pensada e bastante difícil

No final da primeira semana de abril (05) findou o prazo de filiações de pretensos candidatos a cargos eletivos no pleito eleitoral de outubro de 2020, e em Ouro Preto do Oeste a disputa de bastidor das lideranças políticas locais foi intensa, com destaque para a procura por mulheres decididas a encarar a disputa eleitoral.  

Na próxima disputa, haverá uma participação maior da mulher no cenário político local. Uma dessas mulheres que deve se apresentar ao eleitorado é a professora Genedite Rodrigues, pretensa pré-candidata a vereadora pelo Partido Verde.

Cidadã radicada em Ouro Preto do Oeste desde 1976, com esposo, três filhos e três netas, professora Genedite tem como característica um bom desempenho na vida social sob a ótica política que são exercícios interessantes. Para ela, é essencial a atuação da mulher tanto no Legislativo quanto no Executivo. E a oportunidade segue.

Há alguns anos atrás professora Genedite vem caminhando com passos firmes e agora neste atual momento os mesmos enviesam para a política, mais precisamente nas eleições municipais deste ano.

Hoje, Genedite é uma pretensa pré-candidata a um dos cargos do Poder Legislativo da Estância Turística Ouro Preto do Oeste. Por vários períodos eleitorais sempre houve convites e incentivos para que a mesma aceitasse a candidatura, porém, devido aos trabalhos nos serviços públicos e dedicação a criação dos filhos, não houve disponibilidade de também aderir a uma concorrência político partidária como candidata, devido a um acúmulo de responsabilidades.

“Unir o útil ao agradável é muito bom, mas, conscientemente com olhares triplamente igualitários é de suma importância. O momento é favorável, pois há boa disposição e tempo para exercer trabalhos sociais dos quais são um dos grandes focos”, pontua a professora.

Sabedores de que lançar-se numa pré-candidatura e chegar a registrar a candidatura no TRE necessita passar-se por um crivo, sendo eles esposo, filhos, nora e demais familiares. E isto é que a deixa tranquila e animada. Tão logo vem a sociedade da qual faz parte, que poderá também estar ciente.

   “Vale relatar que segundo as estatísticas 51,7% das mulheres do Brasil são eleitoras. Dedicamos nossos aplausos a todas mulheres pretensas a candidatas”, destaca.

“Acredito que pré-candidaturas para nós mulheres é um grande começo e avanço. Acredito que é uma decisão devidamente bem pensada e bastante difícil, pois, é partindo daí que transcorre naturalmente outras evoluções”, concluiu Genedite Rodrigues.

 

Fonte: www.correiocentral.com.br