Correio Central
Voltar Notícia publicada em 14/03/2019

Em Ouro Preto, Marcos Rocha fala em contenção de gastos, privatização e duplicação da BR-364

Governador disse que o momento é de apertar as rédeas e manter o equilíbrio fiscal para o Estado continuar em margem segura.

O governador de Rondônia, Coronel Marcos Rocha (PSL) realizou em Ouro Preto do Oeste a sua primeira viagem oficial como chefe do Poder Executivo estadual, ao participar nesta quarta-feira (13) do I Encontro de Turismo que tem a proposta de formular, com os municípios que fomentam o setor, o Mapa do Turismo Brasileiro versão 2019, atualizado, a fim de criar estratégias de estruturação e promoção do turismo de forma regional e descentralizada.  

No intervalo do encontro, no primeiro dia, o governador concedeu entrevistas a emissoras de rádio e TV; ele fez uma avaliação a respeito desses primeiros dois meses de governo focando a necessidade de o Estado manter as rédeas reduzindo o máximo possível o custo da máquina pública.

Coronel Marcos Rocha afirmou que terá de trabalhar o seu primeiro ano de gestão com um déficit orçamentário de R$ 400 milhões, e o primeiro passo está sendo reorganizar a estrutura e o orçamento do Estado em todas as secretarias para chegar a um equilíbrio fiscal seguro que permita ao governo garantir a manutenção do salário dos servidores em dia, e fazer os investimentos que a população almeja e necessita.

“A gente está segurando pra poder sobreviver até o final do ano, mas o que a gente quer é viver e que a coisa vingue, cresça, e pra ela crescer nós precisamos tomar cuidado”.

Coronel Marcos Rocha citou o exemplo de estados desenvolvidos como Minas Gerais, Rio de Janeiro, e por último Goiás, que decretaram estado de calamidade financeira, pediram ao governo federal a inclusão no regime de recuperação fiscal (RRF) devido ao déficit orçamentário que provocou também o atraso em salários, o providenciaram o cancelamento de empenho já liquidados e de restos a pagar, sem a devida provisão de caixa.

“Quando que você ia pensar que Goiás ia entrar na crise que está. Então, a gente precisa economizar. O Espírito Santo não afundou porque segurou para aplicar na hora certa, e agora vai começar a receber investimentos”, comparou o governador.

Marcos Rocha também falou da necessidade de incluir a privatização de estatais que não dão resultados e contribuem para o desequilíbrio fiscal das contas do Estado sem, contudo, indicar quais autarquias e ou secretarias geram esse desequilíbrio.

“A gente precisa, primeiro, privatizar algumas empresas públicas. A gente precisa, porque aquelas que não estão dando retorno você tem que privatizar pra fazer com que o rondoniense possa trabalhar e prosperar”, disse o governador em entrevista a emissora de Vale do Paraíso.  

Com relação as demandas por melhores salários para as categorias de servidores estaduais, Coronel Marcos Rocha não fez rodeios afirmando que não há como o governo conceder aumento salarial nesse momento, sob o risco de o Estado de Rondônia entrar num caos como o que estão vivendo os outros estados da federação antes bem mais abastados financeiramente.

BR-364 e portos

Coronel Marcos Rocha permaneceu na região para o I Encontro de Turismo com agentes municípais

O governador Marcos Rocha deixou claro que não existe uma solução imediata para que a BR-364 seja duplicada sem que aja uma engrenagem cujo projeto tenha como origem de execução o governo federal.

O governador divulgou que esteve reunido com o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, tratando de obras como a restauração e a duplicação da BR-364 e da BR 319 que liga Manaus a Porto Velho.

“A 364 deve ser duplicada através de concessão, eu conversei sobre esse assunto com o presidente e o ministro, e eles devem fazer a duplicação através de concessão, assim como vai realizar também o asfaltamento da BR-319. Isso vai ser muito bom, porque vai ter rondoniense levando produtos de carro até Manaus, pra o caribe”, vislumbra.

  

Fonte: www.correiocentral.com.br - fotos Edmilson Rodrigues