Correio Central
Voltar Notícia publicada em 08/10/2018

Em Ouro Preto, eleitor é preso fazendo boca de urna; DP lota de eleitores que não viram foto de candidato

Eleitor foi preso pela Polícia Federal em uma escola da cidade; caso das denúncias de urnas é apurado pela polícia.

No domingo (7), dia de votação para o 1º turno das eleições, a Comarca de Ouro Preto do Oeste, que agrega duas zonas eleitorais e votos de cinco municípios, a Justiça Eleitoral registrou a prisão em flagrante de um eleitor fazendo boca de urna.

O eleitor foi preso pela Polícia Federal em uma escola pública da cidade, foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil na UNISP, e depois de ouvido foi liberado.  

Também houve um recorde de registros de ocorrências na Delegacia Civil da cidade, feitas por eleitores que ao votarem para presidente não concluíram o voto, tampouco conseguiram ver a foto do candidato Jair Bolsonaro.

Para as cidades que são jurisdicionadas às duas zonas eleitorais da região de Ouro Preto, foram destacados 50 policiais de outras cidades do estado e uma equipe com 10 policiais federais para atuaram nos municípios, segundo informou o juiz Rogério Montai de Lima, titular da 13ª Zona Eleitoral.  

A 28ª Zona Eleitoral, é presidida pelo juiz João Valério Silva Neto.

Três promotores de Justiça foram escalados para trabalhar nas cidades no acompanhamento da votação. Entre a noite de sábado e a manhã de domingo não houve nenhum incidente, as autoridades até elogiaram o comportamento dos candidatos e dos eleitores em geral.

O juiz Rogério Montai ressaltou no período da manhã que a Justiça Eleitoral se preparou, fez um trabalho enorme de divulgação e as eleições ocorreram absolutamente tranquilas. ‘A sociedade tem se conscientizado de seus direitos, das suas respectivas obrigações, das regras e normas eleitorais, e até o momento tudo tranquilo e a gente espera que continue assim todo o dia”.  

 Quanto as ocorrências de eleitores que denunciaram irregularidade na urna eletrônica, o delegado Niki Alves Locatelli informou que nenhuma urna foi recolhida no local de votação onde houve a denúncia, mas que todos os casos estão sendo apurados e serão remetidos para a Justiça Eleitoral.

“É feito o relato para a mesa, depois é feito o registro na ata de votação e quem tem interesse em fazer um registro policial que se dirija até a delegacia. As ocorrências serão encaminhadas para a Justiça eleitoral”, finalizou.

juízes com servidores no Fórum Eleitoral de Ouro Preto do Oeste no dia de votação do 1º turno das eleições de 2018

Eleitor é orientado pelo Promotor de Justiça Tiago Cadore na Escola Estadual Monteiro Lobato sobre local de votação

Juiz Rogério Montai com policiais militares na Escola Estadual 28 de Novembro, um dos maiores locais de votação

Polícia Civil trabalhou em duas equipes durante o dia de votação fiscalizando locais de votação em Ouro Preto 

 

 

Fonte: www.correiocentral.com.br - fotos Edmilson Rodrigues