Correio Central
Voltar Notícia publicada em 29/07/2017

Rondônia recebe líderes de facções

Líderes do crime organizado do Rio Grande do Sul foram trazidos para o Presídio Federal de Rondônia

Na manhã da última sexta-feira (28), sob forte esquema de segurança, 27 condenados foram transferidos da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (PASC), na Região Metropolitana, e da Cadeia Pública de Porto Alegre para presídios federais.


Considerados líderes de facções, os presos foram levados em avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para penitenciárias federais de Porto Velho, em Rondônia, Mossoró, no Rio Grande do Norte, e Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, sendo nove presos para cada. Outros 19 pedidos foram negados pela Justiça.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP), mais de 3 mil agentes participaram da operação realizada pelo Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça e Segurança Pública (Depen/MJSP).

Operação “Pulso Firme”

O titular da SSP, Cezar Schirmer, observou que o planejamento da operação começou ainda em março e que os presos foram “criteriosamente selecionados a partir de uma estratégia bem definida”. Salientou que a transferência de presos é a maior operação de enfrentamento do crime organizado no Rio Grande do Sul.

“Essa operação não termina aqui”, pontuou o secretário. “Vamos mostrar que o crime não compensa. Estamos dispostos a quantas medidas forem necessárias. Vamos, em todas as cidades, fazer uma ação integrada, firme, contundente, no sentido de coibir o crime e levar à sociedade gaúcha mais tranquilidade”, observou o secretário.

Movimentação teve início na madrugada

Mantida em sigilo, a Operação Pulso Firme teve início na madrugada de quinta-feira (27), quando a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) concentrou em Charqueadas os presos que estavam em Porto Alegre e no interior do Estado. O desfecho da mobilização em solo gaúcho se deu sob forte neblina na sexta-feira (28), com a atuação de 3 mil agentes de 20 instituições. É a maior operação já realizada no Rio Grande do Sul, segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Fonte: Diário da Amazônia