Correio Central
Voltar Notícia publicada em 04/06/2018

Presos na Casa de Detenção de Ouro Preto do Oeste se queixam da comida servida no cardápio diário

Comida vem de Ji-Paraná, da cozinha do Grupo Caleche, que tem um dos restaurantes mais sofisticados do interior do estado.

A direção da Casa de Detenção da Estância Turística de Ouro Preto do Oeste tem registrado constantes queixas e reclamações, por parte de detentos que cumprem pena na unidade prisional, da alimentação que é servida diariamente no local, alguns até ameaçam não comer.

A alimentação servida na Casa de Detenção em Ouro Preto do Oeste e paga com dinheiro do contribuinte é produzida na cozinha industrial do Grupo Caleche, em Ji-Paraná, empresa especializada no fornecimento de alimentos preparados no mesmo padrão de alimentação servida para grandes empresas, e que tem um dos restaurantes mais sofisticados da região central.  

O cardápio diário dos apenados tem uma variação de alimentos que a maioria da população não come diariamente. Detento que tem algum tipo de doença recebe marmita diferenciada e balanceada, e de acordo com a recomendação de profissional nutricionista.

“Sempre reclamam que a comida vem crua, que a comida vem peixe, que tem carne de frango. Sempre reclamam. Nós supervisionamos a cozinha do Caleche e é super caprichado e higiênico, é coisa de outro mundo”, comentou um agente que pediu sigilo do seu nome.

O café da manhã dos apenados é pão com café e um pacotinho de leite em pó. As 11 horas chega o almoço e a janta as 17 horas. Fora isso, aos finais de semana, durante as visitas familiares levam bolachas, bolo e mantimentos.

Um agente definiu essa situação de os presos se queixarem da comida do Caleche da seguinte maneira: “Se o cara almoçar todo dia no melhor do mundo, ele enjoa também”.

Fonte: www.correiocentral.com.br