Correio Central
Voltar Notícia publicada em 18/04/2017

Polícias Civil e Militar fazem operação em Teixeirópolis e prendem autores de tentativa de linchamento de dois PMs

Os seis detidos em Teixeirópolis tiveram envolvimento no episódio em que dois PMs quase são linchados em uma festa

EDMILSON RODRIGUES - A Polícia Civil e a Polícia Militar de Ouro Preto do Oeste deram nesta terça-feira (18), na cidade de Teixeirópolis (distante a 32 quilômetros) uma demonstração de força e de que, a polícia, de fato é o Estado de Direito, ao localizar e prender seis homens envolvidos numa confusão generalizada que ficou caracterizada como uma tentativa de linchamento de dois policiais militares lotados no subgrupamento da cidade.

No final do mês passado, dois policiais militares foram atender uma ocorrência numa festa que ocorria na cidade de Teixeirópolis e sofreram o enfrentamento de várias pessoas, um indivíduo se aproveitou e furtou a espingarda de dentro da viatura, e até o presidente da Câmara de Vereadores do município entrou na confusão generalizada.

Os seis homens trazidos para a Delegacia Civil de Ouro Preto do Oeste estão sendo ouvidos, depois passarão por exames de Corpo de Delito, e em seguida serão entregues à Casa de Detenção da cidade. “Eles não ficarão presos, as prisões foram substituídas por cautelares. Será feita a Oitiva de todo os envolvidos, a Casa de Detenção os receberá, os acusados irão receber tornozeleiras eletrônicas”, explicou um investigador que participou da operação em Teixeirópolis.  

Os acusados de envolvimento na confusão não ficarão presos, mas terão que pagar fianças, e as cautelares são medidas restritivas de frequentar determinados locais, se recolherem para suas casas em horário estabelecido, e usar as pulseiras de monitoramento piscando no tornozelo.

O presidente da Câmara, que havia se antecipado e vindo à Rádio Rondônia de Ouro Preto para dar a sua versão, a de que estava no local para apaziguar a situação, que é homem público e tem seu nome a zelar, não foi encontrado na cidade para prestar esclarecimentos, mas irá responder a um TC – Termo Circunstanciado.

O indivíduo que praticou o furto da espingarda de dentro da viatura da Polícia Militar, e abandonou a arma próximo do local, também não foi localizado. O Brasil vive um momento de criminalização da polícia, de proteção e legalização ao bandido e a quem comete ilícitos diversos, e na região de Ouro Preto do Oeste não tem sido diferente.

A operação em Teixeirópolis foi coordenada pelos delegados Roberto dos Santos da Silva, Julio Cezar de Souza Ferreira e pelo comandante d 3ª Companhia de Policiamento Ostensivo (3ª CIA/PO/OPO), capitão PM Bruno Costa.

Os enfrentamentos das polícias contra pessoas que não aceitam que seus comportamentos sejam regulados são constantes, e podem ser observados quando policiais vão a festas ou residências exigir o cumprimento da Lei e de regras de conduta, ou no combate a agentes infratores do trânsito, rotina comum em Ouro Preto.

É possível que, em razão desse comportamento de uma minoria da sociedade, o Brasil hoje apresenta uma segurança pública similar a que foi registrada nos Estados Unidos da América (EUA), há 40 e 60 anos atrás, nas décadas dos anos 60 e 80, e esse atraso prejudica a parcela da população que cumpre seus direitos e deveres, e respeita leis e regras vigentes.  

 

Fonte: www.correiocentral.com.br - fotos Edmilson Rodrigues