Correio Central
Voltar Notícia publicada em 03/10/2018

Polícia Civil de Ouro Preto apreende 2,4 kg de maconha e crack no Jardim Aeroporto

é a maior apreensão de maconha do ano na cidade. Kathiele de Almeida, a Kaká, é apontada como a dona da droga.

Na tarde de segunda-feira (1), agentes do Serviço de Investigação (Sevic) da Polícia Civil com policiais do serviço velado da Polícia Militar fecharam mais um ponto de distribuição e comercialização de drogas na cidade de Ouro Preto do Oeste, apreenderam mais de 2 quilos e 400 gramas de maconha, 275 gramas de crack e efetuaram a prisão de dois jovens e de uma mulher.

Esta é a maior apreensão de maconha do ano na cidade.

A apreensão da droga ocorreu na residência do jovem Leomar Ortiz Ramos, 25 anos, que fica localizada no Jardim Aeroporto à rua Pau Brasil com a São João Del Rey; foi cumprido Mandado de Busca e Apreensão na casa de kathiele de Almeida Lopes, a “Kaká”, na rua Itamauru Góis de Siqueira, ela estava usando tornozeleira e trabalhando no Viveiro Municipal e foi novamente presa, e também foi preso Cecílio Bismack Numa Ramos, de 18 anos, que seria filho da amasia de Kaká.  

No interior da casa em que Leomar estava residindo, os policiais encontraram embaixo da cama e dentro de um pote de sorvetes 23 porções de pedras de crack e 24 porções de maconha embaladas e prontas para comercialização.

No quintal, os policiais desenterraram cinco tabletes de maconha e as cinco pedras de crack em volumes maiores.  

A operação policial foi realizada em cumprimento a um Mandado de Busca e Apreensão expedido pelo juiz Rogério Montai de Lima, titular da Vara Criminal da comarca de Ouro Preto do Oeste.

O trio vinha sendo investigado e monitorado, a polícia acredita que Kaká, que cumpre pena no regime semiaberto por tráfico, seria a dona do negócio de venda de drogas.

Os policiais também apreenderam várias joias, relógios, uma quantidade em dinheiro, acessórios de salão de beleza e aparelhos e um veículo tipo Palio, de cor prata.

Segundo os investigadores, Leomar estava residindo em Ouro Preto do Oeste havia pouco mais de um mês. Ele também seria parente da mulher de Kaká, e veio de Guajará-Mirim para cuidar do ponto de venda de drogas.

 O delegado Niki Alves Locatelli esclarece que, esta ação de prisões e apreensão de drogas são frutos de um trabalho de investigação que teve início a quatro meses na cidade, anunciou que as ações vão continuar e pediu que a população continue colaborando com a polícia denunciando atitudes ilícitas de contraventores da lei.

O trio que foi preso vai ser processado por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

OS TABLETES DE MACONHA ESTAVAM ENTERRADOS NO QUINTAL DA CASA QUE LEOMAR ESTAVA RESIDINDO

Polícia apreendeu Tv e vários objetos e produtos de procedência duvidosa na residência da rua São João Del Rey

 

 

 

Fonte: www.correiocentral.com.br