Correio Central
Voltar Notícia publicada em 14/11/2017

Mulher de Testoni Junior o delatou por posse de drogas e ameaças, não por diamantes, revela depoimento

Camila contou que Junior Testoni chegou de madrugada e queria sexo, e diante da negativa a agrediu e ameaçou-a de morte

A primeira decretação de prisão de Juan Alex Testoni Junior está amparada na ocorrência policial registrada pela sua mulher Camila Griebler Vilar, 22 anos, que o denunciou na manhã de segunda-feira (13) de ter sido agredida fisicamente, asfixiada pelo pescoço, arrastada pelos cabelos, e depois expulsa da residência, sob grave ameaça.

Segundo a denunciante, Alex Testoni Junior chegou em casa de madrugada, por volta de 2h, em estado visivelmente alterado, e queria manter relações sexuais com ela. Diante da negativa, ele teria partido para cima da companheira, agredindo-a, tentando enforca-la, e obrigando-a a sair às pressas para a rua.

Camila, cuja família vive em Espigão do Oeste, foi impedida de levar a filha do casal, e pediu abrigo na casa do sogro, o ex-prefeito Juan Alex Testoni, onde ela passou a noite. Pela manhã, segundo a advogada a jovem não teria encontrado manifestação de apoio pelo ocorrido na madrugada anterior, e decidiu ir até a Delegacia de Polícia Civil denunciar que já vinha apanhando de Juan Alex Testoni Junior.

A Jovem disse em depoimento que Junior Testoni havia ameaçado ela de morte várias vezes, que se mantinha sempre calada, mas pelo comportamento cada vez mais agressivo e violento do marido, e os últimos acontecimentos, queria assegurar Medida Protetiva por meio judicial.

ACUSADO TERIA AMEAÇADO A MULHER DE MORTE

Na Delegacia, Camila Griebler relatou sobre seu dia a dia com seu marido, contou que na residência havia droga, e em nenhum momento teria revelado que seu marido tinha pedras preciosas em seu poder. Ela também disse acreditar que ultimamente seu companheiro estaria fazendo uso de mais de um produto ilícito, e a cada dia estava se tornando mais arrogante e agressivo com ela.  

A advogada da denunciante, afirmou que em razão de comentários em tom de desmerecimento da denúncia em questão por parte de defensores do réu preso, vai providenciar um exame toxicológico de Camila para poder comprovar que a jovem não faz o mesmo que o marido, e que decidiu procurar a polícia por não encontrar apoio familiar.

Ainda segundo a advogada, Camila contou outros fatos e episódios que serão revelados nos autos do processo, a fim de evitar constrangimento e exposição da mãe e a criança, e garantiu que todas as tentativas de denegrir a imagem da denunciante serão combatidas com provas cabais para provar o ambiente infernal de vida que ela vinha levando.

 

Fonte: www.correiocentral.com.br