Correio Central
Voltar Notícia publicada em 23/06/2016

Justiça condena homem que matou ex-mulher com 4 tiros em Teixeirópolis a 15 anos de prisão

Sinval Pinto de Oliveira matou a ex-mulher Marlucya 14 dias após ela iniciar um novo relacionamento e após ela não aceitar reatar o casamento. A vítima morreu com quatro tiros, um disparo foi no ouvido.

Júri popular condenou a 15 anos de prisão Sinval Pinto de Oliveira pelo assassinato da sua ex-mulher, a manicure Marlucya Assis Pereira de Oliveira, em crime ocorrido na noite de 2 de novembro de 2014, na cidade de Teixeirópolis. O réu assassinou a sua ex-companheira na frente da casa onde ela morava com mais duas filhas adolescentes, disparando quatro tiros de revólver calibre 38. A vítima recebeu dois disparos na cabeça, e morreu no local.  

 

O julgamento ocorreu na última terça-feira na comarca de Ouro Preto do Oeste, no plenário do Fórum Jurista Teixeira de Freitas. Sinval responde pelo homicídio qualificado em liberdade por ter confessado o crime, colaborado com a justiça e entregado a arma utilizada para matar Marlucya, e como seus advogados recorreram da sentença condenatória, ele continuará em solto até o trânsito em julgado da decisão.


De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público, o réu agiu com livre, consciente e manifesta vontade de matar, por motivo fútil, matou Marlucya Assis Pereira. De acordo com o caderno investigatório, do Inquérito conduzido pelo delegado Roberto dos Santos da Silva, Sinval se dirigiu à casa da ex-companheira na Rua Belmiro a fim de saber se ela estava se relacionando com outro homem, tendo a vítima afirmado que sim. O acusado teria então proposto reatar o relacionamento e Marlucya dito que não o amava mais. Possesso de ciúmes, Sinval sacou de um revólver e disparou quatro vezes contra Marlucya, e em seguida fugiu do local.   


Testemunhas arroladas no processo confirmaram que Sinval não escondia de ninguém que caso sua ex-companheira se relacionasse com outro homem mataria ela e seu amasio. Uma mulher que frequentava a casa de Marlucya, disse em depoimento que a vítima relatava para ela os motivos que levaram o casal a separação. Sinval queria que a ex-companheira mandasse uma das filhas embora de casa, e que Marlucya deixasse o trabalho de manicure. Mesmo amando o marido, ela optou por continuar com a filha em casa e aceitou a separação.


A vítima começou a namorar outro homem no dia 18 de outubro, andar juntos na rua, e 14 dias depois Sinval apareceu na casa dela e cumpriu o que dizia, matando a ex-companheira sem chance de defesa.

 

Autor: Edmilson Rodrigues

 

      MARLUCYA FOI ASSASSINADA EM FRENTE DA SUA CASA COM QUATRO TIROS DISPARADOS A QUEIMA ROUPA