Correio Central
Voltar Notícia publicada em 03/11/2017

Invasores de terrenos deixam a área da Cerâmica em Ouro Preto e destroem a fábrica de tijolos

Grileiros de terrenos destruíram quatro fornos, as estufas, colocaram abaixo três barracões; prejuízo é superior a R$ 300 mil

A Polícia Militar de Ouro Preto do Oeste cumpriu na última quarta-feira (1) a ordem de reintegração e manutenção de posse da área que estava sendo lotada e pertence à Cerâmica Esperança, localizada na avenida Gonçalves Dias, na saída para a Linha 37, e o saldo de prejuízos causados com a ocupação está relatado em uma ocorrência policial registrada na Delegacia de Polícia Civil.

A Cerâmica quando estava em operação já empregou 28 trabalhadores com carteira assinada, e segundo a direção estava paralisada por falta de matéria-prima e se tornou alvo de grileiros de terrenos urbanos.

De acordo com o registro policial, além da destruição de quatro fornos modelo paulista com capacidade de queima de 30 mil tijolos cada e um forno com capacidade de queima de 50 il tijolos; três estufas de secagem de tijolos de estrutura metálica tubular de 12 por 60 metros e as lonas com a mesma dimensão, foram perdidos 125 mil tijolos pré-queimados, e 25 mil tijolos foram deslocados por um dos invasores para uma chácara próxima da cerâmica.

Os invasores destruíram um barracão medindo 20 por 10 metros quadrados e o madeiramento e as telhas Eternit onde ficavam os maquinários de processamento de barro. Também ficou destruído um barracão de 50 metros por 04 com madeiramento e telhas padrão, e um barracão com pé direito de 08 metros de altura, 40 metros horizontais por 15 metros na vertical.

Também está registrado o desaparecimento de toda a parte elétrica da Cerâmica, e uma bomba de poço artesiano. Segundo o proprietário da Cerâmica o prejuízo é superior a R$ 300 mil e não há condições de retornar a atividade na fábrica de tijolos.

Na ocorrência policial registrada na Delegacia Civil, constam como suspeitos de liderar a invasão Denilson Simões, 57 anos, que reside no Bairro Alvorada, Marcos da Silva Souza, 41 anos, que reside no Jardim Aeroporto, Paulo Sérgio da Silva (de idade não informada), que mora na rua Alto Alegre e Luiz Cláudio Barros Donizete, 22 anos, que reside próximo da área que estava ocupada.  

A CERÂMICA FOI COMPLETAMENTE DESTRUÍDA, TIJOLOS FORAM RETIRADOS DO LOCAL

A JUSTIÇA DETERMINOU A REINTEGRAÇÃO DE POSSE DA ÁREA DA EMPRESA 

 

 

 

 

 

Fonte: www.correiocentral.com.br