Correio Central
Voltar Notícia publicada em 04/07/2019

Diego gordinho morre no HEURO em Cacoal; polícia de OPO continua investigação

Diego Pedro Ascacibas sofreu oito perfurações; ele foi acusado por uma facção rival pelo assassinato de Ligiane Rodrigues.

O jovem Diego Pedro Ascacibas, 18 anos, o popular “Gordinho”, vítima de vários disparos de arma de fogo na noite de terça-feira, morreu no começo da noite desta quarta-feira (3) no HEURO em Cacoal, o atentado contra a vida dele foi praticado por quatro indivíduos que revidaram a uma ação da Polícia Militar e capotaram o veículo na BR-364 quando fugiam de Ouro Preto do Oeste, dois dos criminosos morreram e a outra dupla está presa.

A execução de Gordinho, que teria sido motivada por disputa de facções, e que teria sido uma retaliação em face da execução de Ligiane Rodrigues da Silva, assassinato ocorrido na noite de segunda-feira (1) no Jardim Novo Estado, mesmo bairro onde o jovem sofreu o atentado.

Gordinho sofreu oito perfurações de arma calibre 38, os disparos foram efetuados de perto e projeteis atravessaram o corpo do jovem. Ele foi alvejado na barriga, no tórax, no cotovelo e no sovaco. O médico patologista do HEURO que assinou a Necrópsia descreveu que Diego Ascacibas sofreu choque hipovolêmico (hemorragia) e morreu de politraumatismo.

O corpo do jovem chegou esta madrugada à funerária da Associação Vida Nova, o velório terá início esta manhã e o sepultamento está marcado para às 16 horas. Os corpos dos dois criminosos do Golf que morreram na BR-364 depois de revidar a abordagem dos policiais militares que estavam em perseguição, tendo o carro capotado na margem da rodovia federal, foram enviados para suas cidades.    

INVESTIGAÇÃO POLÍCIAL

Dois integrantes do Golf qe ocupavam o bando de trás morreram no campotamento

Com a morte de Diego Pedro Ascacibas, de dois dos indivíduos que vieram a cidade de Ouro Preto do Oeste, e a prisão de outros dois criminosos que ocupavam os bancos da frente do veículo Golf, o assassinato do jovem ouro-pretense que completou 18 anos em janeiro está praticamente elucidado, mas ainda falta confirmar se havia outro veículo dando cobertura para os criminosos de fora.

A Polícia Judiciária agora trabalha para concluir a investigação sobre o assassinato de Ligiane Oliveira, há mais suspeitos na linha de investigação da Polícia Civil que teriam participado da execução da mulher que se mudou para Ouro Preto do Oeste recentemente, e por ser integrante de uma facção, sua morte gerou a vinda do quarteto para vingar a sua morte. Ligiane foi enterrada em Ji-Paraná.

A polícia local tinha a informação que um grupo de criminosos estava vindo para Ouro Preto do Oeste na noite de terça-feira para cometer uma chacina na cidade para dar uma demonstração de força e vingança, os agentes policiais não sabiam a hora e o local onde o ataque ia acontecer, e toda a força policial na cidade estava mobilizada.

“Olha, foi tenso eu temi até pela minha família, a gente é policial, mas nessa hora a gente pensa em tudo”, revelou um policial que trabalhou na noite do atentado contra Gordinho.

O delegado Niki Alves Locatelli informou a reportagem do Correio Central que o assassinato de Diego Ascacibas será imputado aos quatro integrantes que vieram de Cacoal, mas seus endereços fixos constam como moradores das cidades de Vilhena, Colorado do Oeste e Cabixi, no Cone Sul do estado.

No caso da acusação de que Diego Pedro teria sido o responsável pela morte de Ligiane, apesar de os criminosos terem afirmado que essa era a motivação, ainda não está esclarecido pela polícia. “Quanto ao assassinato da Ligiane, há a suspeita de uma possível participação de gordinho, mas não está confirmado e precisamos apurar mais, realizar diligências e ouvir algumas pessoas”, definiu o delegado titular da DP em Ouro Preto do Oeste.

Motorista do Golf e um dos comparsas foram presos e responderão pela morte de gordinho

O motorista do Golf perdeu o controle do veículo capotando, dois comparsas morreram e ele acabou preso

Diego Pedro Ascacibas é velado na funerária da Associação Vida Nova 

 

 

    

Fonte: www.correiocentral.com.br