Correio Central
Voltar Notícia publicada em 20/02/2017

Condutor da caminhonete que atropelou e matou jovem na madrugada de domingo em Ouro Preto se apresenta na Delegacia

Delegado Julio Cezar disse que Cleber Botêlho vai responder por homicídio culposo com pena aumentada pela omissão de socorro

O condutor da caminhonete S10 cabine simples, de cor prata, ano 2007, que na madrugada do último domingo atropelou e matou Maicon Lopes Ferraz, que tinha 25 anos, é Cleber Botêlho, de 28 anos, proprietário de uma oficina de motos na Avenida Duque de Caxias, subesquina com a rua Seringueiros, e não Luan Torres, conforme consta no boletim policial registrado na Delegacia Civil de Ouro Preto do Oeste.

Cleber Botêlho se apresentou na Delegacia Civil na manhã desta segunda-feira acompanhado do advogado Alexandre Anderson Hoffmann, prestou depoimento ao delegado Julio Cezar de Souza Ferreira, e deu a sua versão para o acidente fatídico, e como escapou do flagrante foi liberado para responder em liberdade.

Ele afirma que está fazendo uso de medicamentos e não havia ingerido bebida alcoólica, narrou que estava seguindo sentido a BR-364 aproximadamente a 60 por hora, que não atropelou Maicon na calçada, e a vítima teria tentado atravessar a pista de maneira rápida, da esquerda para a direita, e por isso não teve tempo de frear.

Com base no depoimento de testemunhas que presenciaram o acidente, a guarnição da PM que esteve no local do acidente relatou na ocorrência que a vítima teria sido atropelada na calçada da Avenida Jorge Teixeira; populares afirmaram ainda que quem conduzia a caminhonete no momento do acidente seria Luan Torres.

No entanto, Cleber afirmou ao delegado, perante o escrivão, que na madrugada de domingo estava andando pela cidade na companhia de Luan Torres, ambos passaram em frente à casa noturna Route e não entraram, depois resolveram seguir para a avenida Jorge Teixeira. Ao passarem perto do bar da “Loira” o carona teria avistado um amigo e pediu que Cleber parasse o veículo.

Cleber afirmou que no referido bar não permaneceram cinco minutos, ele seguiu até próximo da rotatória com a rua José Lenk, de acesso a Cohab, deixou o amigo em casa e retornou pela avenida, vindo a atropelar a vítima na altura do número 969. No depoimento, Cleber disse que após o acidente ficou assustado, entrou em pânico e fugiu temendo ser agredido foi para sua casa, e quando amanheceu decidiu ir para a casa de um parente em Ji-Paraná, onde deixou o veículo.

O condutor da caminhonete disse que só tomou conhecimento que a vítima havia falecido pela manhã, através de um telefonema de Luan. O advogado do acusado garantiu para as autoridades policiais que até a terça-feira ele apresentará o veículo para a realização da perícia técnica.

 O delegado Julio Cezar de Souza Ferreira, informou que Cleber Botêlho vai responder por homicídio culposo com pena majorada em até 1/3, por ter fugido do local do acidente e omitido o socorro à vítima.

MAICON FOI ATROPELADO NA AVENIDA JORGE TEIXEIRA E FALECEU NO LOCAL

Fonte: Por Edmilson Rodrigues