Correio Central
Voltar Notícia publicada em 25/04/2017

Bruno DJ, funcionário da SEMINFRA em Rondominas, é flagrado com menina de 12 anos e preso por estupro de vulnerável

Bruno DJ atuava na campanha do ex-prefeito e do ex-vereador Gilvane Fernandes e foi mantido na SEMINFRA em Rondominas

EDMILSON RODRIGUES - Bruno Nunes Lopes Vieira, 37 anos, que ficou conhecido por Bruno DJ nas campanhas do ex-prefeito Alex Testoni e do ex-vereador Gilvane Fernandes, foi detido na manhã desta terça-feira em Rondominas (a 55 kms de Ouro Preto) pela PM, após ser flagrado em atos libidinosos com uma aluna da escola estadual que fica ao lado da sede administrativa do distrito, pela diretora e a vice-diretora que correram para o quartel chamar os militares da equipe itinerante da GOE que estavam na localidade.

Bruno foi trazido para a Delegacia Civil de Ouro Preto do Oeste, o Conselho Tutelar foi acionado e trouxe a estudante juntamente com a mãe dela, que moram na área rural do distrito. A menina era aliciada sempre que saia da Escola para entrar o ônibus escolar.

Em depoimento, a menina contou sobre como o servidor da prefeitura a aliciou, alegando que gostava dela, e também admitiu atitudes praticadas do suspeito que conotam como sendo atos libidinosos, e o delegado Roberto dos Santos da Silva decretou a prisão dele. O estupro com conjunção carnal não foi praticado, mas era questão de tempo, no entendimento das autoridades policiais.

A diretora da Escola Estadual contou para a reportagem que vinha sendo alertada por comerciantes e pessoas próximas da instituição para que ela “vigiasse” o que estava acontecendo atrás dos muros e no antigo CTA do distrito, que está abandonado.

Hoje, após a dispensa dos alunos para eles entrassem no ônibus escolar, a diretora de posse de um celular subiu em um muro, flagrou alguns jovens e não avistou a adolescente. Quando foi para um local mais escondido a menina estava prensada contra uma parede, e viu o acusado a beijando.

Bruno, que é nomeado pela SEMINFRA desde a gestão anterior e foi mantido pelo prefeito Vagno da padaria Panisoly em cargo celetista de trabalhador braçal, deveria estar na escola trabalhando pela prefeitura, mas na verdade estaria usando da função que exerce para aliciar pré-adolescentes e adolescentes novinhas.

Antes de ser recolhido à Casa de Detenção, Bruno DJ que também é acusado de ser um dos autores de um jornal apócrifo que provocou muitas desavenças no distrito, alegou para a reportagem que estava sendo preso por causa deste motivo, mas o delegado o autuou por estupro de vulnerável, apos os depoimentos da menor e da diretora serem tomados.

 

 

Fonte: www.correiocentral.com.br - fotos Edmilson Rodrigues