Correio Central
Voltar Notícia publicada em 29/06/2018

BR-364 é liberada no trecho de Ouro Preto após ficar 8 horas fechada devido ao acidente com carreta de combustível

A pista foi liberada às 19 hs, após o corpo do condutor da F-4000 Pedro Eloi e o veículo serem retirados debaixo da carreta.

A pista da BR-364, no trecho entre Ouro Preto do Oeste e Jaru foi liberado a partir das 19h30 da noite desta sexta-feira pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), após o difícil trabalho de oito horas do Corpo de Bombeiros e de voluntários para retirar a caminhonete F-4000 debaixo da traseira da carreta de combustível bitrem carregada com 52.000 litros de álcool anidro com 99,9% do produto, que vazou durante seis horas para a margem da pista.

O acidente ocorreu por volta de 11h30, o condutor da picape Pedro Eloi Carvalho, de Costa Marques, que morreu e ficou preso entre as ferragens, perdeu o controle do carro que não freou na parada obrigatória - para restauração da pista - da rodovia federal e bateu na traseira da carreta com combustível que estava parada.

A caminhonete estava carregada de coco e seguia para Porto Velho, o caminhão de combustível que carregou em Lucas do Rio Verde (MT) também levava o álcool para a capital rondoniense.  

O corpo do motorista da F-4000 Pedro Eloi Carvalho, foi resgatado do local pela funerária Passport, e será transladado para a cidade de Costa Marques, onde ele residia. O carona que era ajudante do condutor da F-4000 sofreu escoriações, e já recebeu alta do Hospital Municipal de Ouro Preto do Oeste.

O comandante do 2º Grupamento do Corpo de Bombeiros em Ouro Preto, Capitão BM Moacyr de Paula Júnior, informou que foram 8 horas de muito trabalho e havia o risco de uma explosão ao redor do local do acidente.  

Com a batida da F-4000 na traseira da carreta, estourou uma válvula do tanque externo provocando o vazamento que durou a tarde inteira, e o risco de explosão era grande.

Após o tanque vazar ¾ do álcool anidro com 99,9% de etanol o Corpo de Bombeiros completou o tanque com 7 a 8 mil litros de água para diluir o combustível que ainda havia estocado para diminuir o índice de inflamabilidade.  

O comandante do Corpo de Bombeiros explicou que havia o risco de na hora de puxar a F-4000 de debaixo da carreta, no desengavetamento acontecer uma explosão e causar maiores danos. “Acabamos de finalizar a ocorrência com sucesso, mas foi uma ocorrência muito difícil”, disse. 

 

Fonte: www.correiocentral.com.br - fotos Edmilson Rodrigues