Correio Central
Voltar Notícia publicada em 09/10/2018

Bando de PVH que usava chapolim preso em OPO sacou R$ 1.500,00 da conta de casal da cidade

A cada crime elucidado, mais o trio da Capital que está preso na Casa de Detenção se enrola com a Justiça.

A Polícia Civil de Ouro Preto do Oeste continua investigando a série de furtos praticada no interior do estado de Rondônia por um trio e um menor, todos de Porto Velho, que utilizava o dispositivo “chapolim” para abrir porta de carros e roubar pertences de valores das vítimas.

A Polícia Militar conseguiu interceptar e prender em Ouro Preto no dia 2 de outubro, terça-feira da semana passada, José Maia de Araújo Bastos, Tiago Alves Neves e Clives Souza de Oliveira e apreender um adolescente, todos moradores da Capital, pouco depois de eles terem acionado o chapolim para abrir uma picape Fiat Toro no centro da cidade.

Por causa de um celular iPhone que o bando furtou em Ji-Paraná duas horas antes de serem presos, eles caíram no flagrante mesmo em período eleitoral, foram presos e continuam encarcerados na Casa de Detenção. O menor foi liberado.

O delegado Niki Alves Locatelli informou que o furto ao veículo de um casal que trabalha no Hospital Municipal, praticado no estacionamento próximo do supermercado Irmãos Gonçalves, foi elucidado.

“Através de imagens do circuito interno do banco descobrimos que o menor tentou transferir a quantia de mil e quinhentos reais para uma conta da mãe dele, e como não conseguiu ele sacou esse valor”, comentou o delegado.

O delegado afirmou que a cada crime de furto praticado pelo trio elucidado e comprovado, mais amplia a possibilidade de mantê-los presos.

Investigação preliminar da polícia indica que o bando já causou prejuízo considerável praticando furto com chapolim. Eles agiam de maneira normal nas cidades do interior, sempre presentes em locais festivos e se divertindo, porém causavam prejuízos de até R$ 60 mil para as vítimas que cruzavam pelo caminho deles.

Ladrões foram presos em um cerco da PM na BR-364, quando se preparavam para fugir de Ouro Preto do Oeste

Fonte: www.correiocentral.com.br