Correio Central
Voltar Notícia publicada em 10/07/2018

Park Amazonas arde em chamas dia e noite; queimadas oferecem perigo e população pede providências

Moradores estão tendo que se virar sozinhos e reclamam que não têm mais a quem recorrer para cessarem os incêndios.

Os habitantes do Residencial Park Amazonas não sabem mais a quem recorrer na cidade de Ouro Preto do Oeste para reclamarem das incessantes queimadas provocadas em quadras inteiras e com datas vazias, situação que põe em risco residências e vem causando transtornos a moradores tendo de limpar diariamente muita sujeira de fuligem espalhadas pelos interiores das moradias.

No último final de semana, os moradores registraram seis incêndios provocados em quadras e datas baldias, uns moradores conseguiram flagrar o indivíduo em um veículo que ateou fogo em uma quadra. Já uma moradora em uma queima de terrenos viu quando um indivíduo subiu em uma moto e fugiu após atear fogo em um terreno.

Eles afirmam acionaram à polícia e ao Corpo de Bombeiros, porém ninguém apareceu e que queixas estão sendo feitas na Ouvidoria da prefeitura.

Domingo, entre as 12 e 13 horas, um fogaréu tomou conta de uma quadra com datas vazias, e rapidamente a fumaça que podia ser vista de qualquer ponto da cidade tomou conta de ruas tornando a visibilidade zero para quem transitava pelas vias do residencial. Há relato de moradores que precisaram apagar fogo para não terem suas casas atingidas.

Na última semana, um morador revoltado filmou uma queimada por volta de 23 horas e, em áudio, questiona a responsabilidade da empresa administradora do loteamento e das autoridades. Uma moradora disse que ligou para a prefeitura e foi maltratada por uma autoridade municipal, e fez questão de registrar sua queixa junto à Ouvidoria.

A fumaça inalada com o tempo seco causa sérios problemas respiratórios, a fuligem é nociva para a pele e a ingestão de alimentos contaminados por fumaça e fuligem podem causar problemas no fígado e nos rins.

As pessoas próximas, principalmente crianças e idosos começam a sentir os sintomas de dor de cabeça, náuseas, espirro, tosse, pigarro na garganta coriza e obstrução nasal. O risco de uma faísca de fogo atingir residências é outro perigo iminente.  

O capitão BM Moacyr de Paula Júnior, comandante do Corpo de Bombeiros em Ouro Preto do Oeste, informou que nesse período do ano há dificuldade em atender todas as ocorrências solicitadas porque são várias saídas para ocorrências de combate a queimadas, e o baixo contingente no quartel dificulta atender a todos.

Trotes feitos por pessoas que insistem em brincar com assunto sério e chamadas desnecessárias ajudam a complicar, segundo explicou o comandante.

Ele disse também que fez um comunicado interno para que todos os bombeiros redobrem atenção na hora da triagem dos pedidos feitos por moradores do Park Amazonas, em razão dos sinistros que tem ocorrido naquele setor da cidade, e determinou a todos da corporação que fiquem em estado de alerta.

O prefeito Vagno Gonçalves Barros “Panisoly” (PSDC) também se manifestou; ele disse que vai reunir a equipe da Divisão de Meio Ambiente e os fiscais para que medidas sejam tomadas e a Lei de combate a queimadas urbanas seja cumprida na cidade.

INTERIOR DAS CASAS FICAM COM CHÃO PRETO DE CISCOS E MATO QUEIMADO

VISIBILIDADE DE RUAS SÃO ZERO POR CONTA DA FUMAÇA DA QUEIMA DE QUINTAIS

Fonte: www.correiocentral.com.br