Correio Central
Voltar Notícia publicada em 17/08/2017

TAC da Cavalgada da Expo Show será discutido no dia 22 no MP e representantes de Pubs querem ser ouvidos

Pubs e tendas lotam de jovens que não possuem animais para a Cavalgada, e o MP demonstra preocupação com a venda de bebida a menores

A diretoria do Parque Expo Show Norte participa de uma reunião na sede da Promotoria de Justiça de Ouro Preto do Oeste no dia 22 de agosto, para firmar o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com os Promotores de Justiça e as autoridades policiais que trabalharão no evento do dia 9 de setembro, a fim de elaborar as regras para este ano.

No último ano não houve reunião do TAC, e foram mantidas as normativas e regras do ano de 2015. Em 2017, os promotores querem o cumprimento de regras que impeçam a presença e o consumo de bebida alcoólica por menores de idade no Open Bar dos camarotes espalhados no curso da Cavalgada.

O promotor de Justiça Evandro Araújo de Oliveira demonstra preocupação com a alta incidência de menores de idade embriagados, e em estado de coma alcoólico após a realização da Cavalgada, e vai requerer providências da parte da organização e dos donos de Pubs, sob pena de proibir o funcionamento de Open Bar.   

O presidente da associação mantenedora do Parque Expo Show Norte, Antonio Zenildo Tavares Lopes, considera positiva a preocupação do MP, e ressalta que nem todo mundo tem cavalo para vir na cavalgada, e depois da proibição de carretas, carros, motos e charretes ornamentadas em meio aos cavaleiros, os frequentadores montam camarotes e tendas no eixo da avenida, e os visitantes vão para os camarotes se divertir.

O presidente da Expo Show também salientou que a movimentação paralela dos camarotes é essencial para o sucesso da Cavalgada, e espera que ambas as partes cheguem a um acordo satisfatório. “É proibido vender bebida para menor, mas é só os organizadores e o poder público fiscalizarem para não ocorrer a venda de bebida alcoólica. Agora, se o maior compra e dá bebida para o menor os bares não podem ser responsabilizados. Acredito que vamos chegar a uma decisão que não prejudique a festa, e que cada um assuma a sua responsabilidade”, concluiu.    

DONOS DE PUBS SE MANIFESTAM SOBRE OCUMPRIMENTO DE NORMAS EXIGIDAS

Três representantes de bares denominados de Pub, que funcionam na avenida Daniel Comboni expuseram a sua preocupação com a divulgação de publicação nas redes sociais que causou incerteza em muitas pessoas que já adquiriram convites para o evento, e afirmaram que o investimento é alto e as vendas foram paralisadas depois do anúncio.  

Eles asseguram que cumprem todas as regras, mas existe situação que foge do controle, como por exemplo o caso de fiscalizar interna e externamente o consumo de bebida alcoólica. Quanto ao Open Bar, garatem que há um rígido controle. “Esse negócio de Open Bar o pessoal pensa que é só cerveja e whisky, mas tem água, refrigerante, sucos. Nós vendemos ingressos para casais que levam o filho menor junto, e não há problemas”, garantiu om dos donos.

Em relação à entrada nos locais é difícil par os donos de Pub controlar, pois o menor pede a um maior de idade que adquira o convite. “Nós não vendemos para menor de idade nem servimos bebida se não apresentar o documento de identidade e há casos que os adolescentes se embriagam em outro lugar e vem para a frente do nosso estabelecimento”, explicou o proprietário de uma das casas localizada na avenida Daniel Comboni.

Caso o TAC proíba o funcionamento do Open Bar os donos de Pub querem combinar uma alternativa que atenda a recomendação da Promotoria Pública, e pedem ao menos que sejam ouvidos antes de a decisão ser tomada.     

AS AVENIDAS SÃO TOMADAS POR CAMAROTES E PARADAS COM JOVENS QUE NÃO CAVALGAM

GRUPOS DE JOVENS DANÇAM E SE DIVERTEM NA CALÇADA DURANTE A CAVALGADA

Fonte: www.correiocentral.com.br - fotos Edmilson Rodrigues