Correio Central
Voltar Notícia publicada em 29/06/2017

Proerd forma em Ouro Preto 81 alunos do 2º ano da Escola Municipal Cora Coralina

Proerd vai formar no primeiro semestre, 300 crianças com idade entre cinco e seis anos das escolas Cecília Meireles, Cora Coralina e Fernando de Azevedo

O Proerd - Programa Educacional de Resistência às Drogas e a Violência – foi aplicado pela Polícia Militar para 81 crianças com idade entre seis e sete anos, estudantes da Escola Municipal Cora Coralina, localizada no Jardim Novo Estado.

A cerimônia de formatura das crianças ocorreu na noite da última quarta-feira (28) nas dependências da Escola Cora Coralina, e o evento contou com a presença do vice-prefeito Valério Pessoa, do gestor municipal da Educação Paulo Bicalho, e de pais e familiares dos alunos.

A diretora Neide Guimarães da Silva salientou a importância do curso para os alunos em fase inicial de ensino, e sobre o aumento da confiança e a interação provocada com a presença dos PMs na instituição “A criança sente uma confiança tão grande no policial, elas adoram essas aulas porque o aprendizado é grande demais”, frisou.  

A princípio, em Ouro Preto apenas o soldado PM Souza estava trabalhando com o Proerd, mas em abril o sargento PM Chagas participou em Porto Velho do Estágio de Formação de Instrutores em tempo integral, para se ambientar ao atendimento em sala de aula e atender as crianças e adolescentes em sala de aula, e ao retornar, foi direcionado exclusivamente para o programa.

Sargento Chagas e o PM Souza informaram que, no cronograma de trabalho deste primeiro semestre, foram contempladas com o curso do Proerd para 300 alunos das Escolas Municipais Cecília Meireles, Cora Coralina e a Fernando de Azevedo no Jardim Novo Horizonte.

O sargento disse que existe uma diferença no curso aplicado a alunos com idade entre nove e 14 anos em relação as crianças com idade entre seis e sete anos. “Nessa faixa etária a gente tem que entrar no universo deles, de uma forma respeitável, ganha a amizade desse aluno e, com isso, a gente leva orientações de cidadania, de segurança pessoal, de saber ficar longe das drogas, ter boa conduta, comportamento e obediência. É um contexto bem amplo”, destacou.

 

 

Fonte: www.correiocentral.com.br - fotos Edmilson Rodrigues