Correio Central
Voltar Notícia publicada em 14/01/2018

Mulher de 25 anos ateia fogo na própria casa no Jardim Aeroporto II, em Ouro Preto do Oeste; veja o vídeo

A mulher colocou fogo na casa, pegou duas crianças de 5 e 7 anos e foi embora; o marido não estava na residência

Um incêndio registrado no começo da madrugada deste domingo (14) na Estância Turística de Ouro Preto do Oeste, provocado por uma mulher fora de controle e enfurecida por pouco não causa um sinistro de maiores proporções.

O fato aconteceu no Jardim Aeroporto II, à rua Sirlei Lemes, o Corpo de Bombeiros foi acionado e apagou o fogo, a Polícia Militar também compareceu ao local. Ninguém ficou ferido, mas tudo que havia dentro da casa, incluíndo mantimentos e roupas da família foi destruído pelo fogo.

A autora do incêndio que causou perda total da estrutura da moradia de madeira é a mulher de iniciais F.F, de 25 anos, amasiada com o pedreiro R.P.F., de 53, que não estava em casa na hora que a acusada ateou fogo num dos quartos da casa e, segundo testemunhas, a responsável pela destruição da residência saiu de casa levando dois filhos de 5 e 7 anos, e uma pasta contendo documentos.

Na hora que a mulher ateou fogo na casa, o pedreiro estava visitando a casa de sua mãe, que que fica localizada na quadra dos fundos da rua Sirlei Lemes; ele só se deu conta de que sua casa estava queimando quando avistou um clarão do outro lado, deduziu que era sua residência e correu para o local.

Por pouco o ato impensado da mulher raivosa não causa uma tragédia e prejuízo de proporções maiores. “O fogo foi aumentando, as telhas queimando estouraram e caíram no telhado da casa ao lado, e se o período não fosse de chuvas e a madeira estivesse mais seca outras casas iam queimar também”, disse aliviado um morador da rua, que pediu sigilo do seu nome.

Testemunhas que estavam acordadas na rua onde ocorreu o sinistro narraram para a reportagem do site Correio Central os momentos que antecedeu o início do fogo, uma das vizinhas contou que a acusada estava gritando alto e dizendo que ia mostrar como é que uma mulher faz. Em seguida, ela foi vista saindo com as crianças, e momentos depois a fumaça começou a sair do quarto e as labaredas surgiram rapidamente.

O pedreiro esteve na manhã deste domingo na UNISP, onde fica a Delegacia de Polícia Civil em Ouro Preto do Oeste, conversou com a reportagem, e não revelou o motivo que levou sua mulher a incendiar a moradia. Ele disse que conheceu F. no réveillon de 2017 na Praça da Liberdade, e como estava sozinho ambos decidiram morar juntos. Para o dono da casa, o histórico de bebedeiras da companheira gerou essa situação e ele ainda não sabe como vai fazer para reconstruir a casa.

Apesar de todo o ocorrido, o pedreiro se mostrava tranquilo, e disse que há muito pouco para ser feito, e ainda que não sabe como vai reconstruir sua casa. “Eu ainda não sei como vai ser e até tenho dó dela, porque ela também não tem nada”, lamentou.

Fonte: www.correiocentral.com.br - fotos Edmilson Rodrigues