Correio Central
Voltar Notícia publicada em 31/07/2018

Maus tratos: em Ouro Preto, cãozinho poodle leva paulada na vizinhança e pode ter a pata amputada

Polícia vai instaurar procedimento para identificar o culpado pela agressão e será aplicado um TC (Termo Circunstanciado).

Uma violência desnecessária praticada contra um cão da raça poodle que fugiu do quintal para ir atrás de uma cachorrinha no cio gerou uma ocorrência policial na Delegacia Civil de Ouro Preto do Oeste.

O cachorro foi agredido numa rua próxima a uma academia de ginástica localizada na rua José Lenk com uma paulada violenta nos ossos do antebraço da mão esquerda e teve de ser operado

A dona do animal de estimação ouviu relatos de vizinhos que ouviram o barulho do golpe e o grito do cãozinho, e procurou a Delegacia Civil para denunciar os maus tratos.

Ludy, como é chamado o cãozinho com 11 anos de idade, sofreu fratura completa e múltipla de rádio e ulna na mão esquerda, que são os dois ossos longos do antebraço. Há uma suspeita que o dono de uma cadela no cio tenha praticado o ato covarde.  

A médica veterinária que atendeu o animal afirmou a reportagem do site Correio Central que, em razão da idade avançada, o cãozinho corre risco de ter a mãozinha amputada. “Pela idade dele já é um cãozinho idoso, talvez ele não se recupere devido a lesão sofrida”, lamentou a profissional.

A tabelas de idade de cães da raça poodle comparada a de humanos é multiplicada cada ano por 12,5 anos. Ou seja: Ludy já tem mais de 60 para 65 anos e talvez não consiga se recuperar da fratura. Uma cirurgia mais delicada teria que ser feita em uma clínica de Ji-Paraná, e custa mais de R$ 2.000,00.

A punição prevista para agressão e maus tratos a não racionais está prevista no artigo 32 da Lei nº 9.605 de Crimes Ambientais. A pena pode ser de três meses a um ano de detenção e o pagamento de multa.

Após tomar conhecimento do fato, o delegado Niki Alves Locatelli informou que vai instaurar procedimento para identificar o culpado pela agressão e será aplicado um TC (Termo Circunstanciado).

Os crimes de maus tratos contra animais domésticos são constantes na cidade, porém muitas pessoas não denunciam temendo reação por parte do agressor.

No mês de junho, a reportagem do site Correio Central recebeu uma denúncia de uma moradora do Jardim Bandeirante narrando que sete gatos amanheceram mortos nas imediações do Hospital Municipal, alguns agonizaram provavelmente por terem ingerido alimento com veneno.

Como não houve registro de ocorrência policial, quem comete o ato covarde não foi responsabilizado e está impune.

Cãozinho teria corrido atrás de uma cadela no cio e foi agredido com uma paulada na mão esquerda, segundo testemunhas

 

 

Fonte: www.correiocentral.com.br