Correio Central
Voltar Notícia publicada em 19/01/2018

Macaco é encontrado morto na zona rural de Ouro Preto do Oeste, equipe da saúde faz bloqueio na área

Não há motivo para pânico, mas a Secretaria de Saúde fará exames em insetos para identificar se há contaminação na região

Na última quinta-feira (18), o setor de Vigilância Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSAU) de Ouro Preto do Oeste-RO, recebeu um comunicado de um produtor rural residente no travessão da linha 63, na vicinal Duas Placas, informando que havia um macaco morto em sua propriedade.

Uma equipe composta pelo Veterinário Eder Nunes, o agente do Ministério da Saúde, Carlos Amante, e o agente de Epidemiologia, Pedro Bitencourt, foram até o local fazer a verificação e constataram que o macaco da espécie Bugio estava morto no pé de uma goiabeira que fica em uma área próxima da casa do sitiante.

Os técnicos não conseguiram retirar amostras do animal devido o estado de composição, de modo que não há como enviar material para análise no Laboratório Central de Saúde Pública do Estado de Rondônia (LACEN) para descartar contaminação por febre amarela. De acordo com Carlos Amante, coordenador da Funasa, será realizado um bloqueio de captura de mosquitos para serem analisados, visando identificar se existe alguma contaminação que possa ter contribuído com a morte do macaco.  

Os técnicos fizeram recomendações a moradores da Linha 63, para caso eles encontrem mais animais do mesmo espécime e de outras espécies mortos, ou doentes, que comuniquem imediatamente aos agentes da equipe de Vigilância em Saúde na cidade tendo em vista que, a partir deste momento, torna-se importante fazer uma vigilância localizada, para averiguação da presença na região dos mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes, transmissores de febre amarela.

A Secretaria Municipal de Saúde vai tomar algumas ações necessárias, tais como, fazer a notificação junto ao Sistema de Informação de agravos de Notificação (SINAN), e ao Centro de Informação de Vigilância em Saúde(CIEVS).

A recomendação dos técnicos neste momento é para os próprios moradores também de outras regiões rurais fiquem atentos, e caso encontrem outros macacos na mesma condição devem comunicar com urgência a Secretaria de Saúde e a Funasa. “Se acontecer, avisar imediatamente, para que ações imediatas de vigilância sejam tomadas. É bastante oportuno lembrar que casos de morte entre este tipo de animais é bastante comum por várias outras doenças e até mesmo por velhice, ou por acidente. Portanto, não é nenhum motivo para pânico, ou afirmação de caso de Febre Amarela”, ameniza Carlos Amante.

O prefeito Vagno Gonçalves Barros “Panisoly” (PSDC), ao tomar conhecimento do fato determinou a Secretaria Municipal de Saúde siga todos os protocolos recomendados pelo Ministério da Saúde (MS), e afirmou que não há motivos para alarme e não acredita que a morte do animal tenha relação com infecção por febre amarela.

Ainda assim, garante o prefeito, medidas preventivas serão tomadas. “Nós estamos tomando todas as medidas e realizando ações necessárias. O estoque de vacina contra febre amarela é de em torno de 500 doses que dá para atender a demanda cotidiana, mas vamos solicitar mais que se a população procurar não vai faltar”, anunciou Vagno Panisoly.  

MACACO MORREU NO TRONCO DE UMA GOIABEIRA

 

 

Fonte: www.correiocentral.com.br