Correio Central
Voltar Notícia publicada em 15/08/2017

Irmãos são reconhecidos por vítimas de assaltos e são suspeitos de ao menos nove roubos em Ouro Preto do Oeste

Valdir Marreiro, eletricista, e o irmão Vinicius, foram reconhecidos por foto, imagem e pela voz por vítimas de roubos em Ouro Preto

Os irmãos Valdir Aparecido Marreiro, de 23 anos, e o seu irmão mais novo, Vinicius Aparecido Marreiro, 20 anos, foram presos por agentes da Polícia Civil na manhã desta terça-feira (15), numa ação coordenada pelo delegado Julio Cesar Souza Ferreira, na residência da dupla localizada no Jardim Aeroporto II, à rua Marcos freire, sob a suspeita de estarem envolvidos em vários roubos ocorridos na cidade de Ouro Preto no ano passado, e nas últimas semanas.   

Três testemunhas de roubos recentes reconheceram Valdir e Vinicius como autores de roubos, e apesar de o mais jovem ostentar uma barba na época dos primeiros crimes, uma mulher de Vilhena que foi roubada pela dupla enquanto passeava em Ouro Preto, e outra que se mudou para uma cidade do interior de Mato Grosso, também os reconheceram.

Outro jovem de 23 anos, detido com os irmãos, não foi identificado por nenhuma das vítimas que fizeram reconhecimento, e foi liberado, enquanto Valdir e Vinicius foram recolhidos à Casa de Detenção, já que a juíza da Vara Criminal da Comarca havia concedido um Mandado de Prisão contra eles, expedido ainda na manhã da última sexta-feira.

Os irmãos estariam envolvidos em ao menos nove roubos, devido a quantidade de crimes que estão sendo atribuídos a eles, segundo informaram os investigadores que atuaram no caso. Havia reconhecimento de testemunhas antes da prisão, e após a prisão hoje três outras vítimas reconheceram a dupla. “As vítimas preferidas de Valdir e o Vinicius eram mulheres e adolescentes, pessoas frágeis. Como eles viviam bem relacionados na cidade, demorou para levantar suspeita”, observou um dos policiais.  

No ato da prisão e na condução para a Casa de Detenção, os irmãos mantiveram a versão de que são inocentes, e têm como provar que não estavam na cidade nos dias em que ocorreram alguns dos roubos. No entanto, a investigação da Polícia Civil apurou com as vítimas e testemunhas que na maioria dos roubos eles utilizavam faca, e uma das vítimas que os reconheceram sofreu um corte na mão, por ter se negado a entregar o celular.

Em dois roubos, os irmãos teriam agido com uma pistola de brinquedo, e fizeram simulações, de que estariam armados.  

O delegado Julio Cesar de Souza Ferreira esclarece que os detidos vão aguardar deliberação judicial, enquanto a Polícia Civil terá o prazo de 10 dias para concluir as investigações e fechar o Inquérito Policial.

O delegado disse que os acusados alegaram inocência, essa possibilidade será investigada e os suspeitos detidos terão direito a tentar provar inocência. “O pedido de prisão e de busca e apreensão que fizemos foi com base em vítimas e reconhecimento categórico de que eles eram os autores. E hoje, depois da prisão, foram novamente reconhecidos por três vítimas. Duas reconheceram pela imagem, e uma reconheceu pela voz de um deles”, relata Julio Cesar.

Segundo a autoridade policial, a característica da motocicleta recolhida na casa da dupla bate com a descrição das vítimas como mais elementos, além de dois roubos recentes que as vítimas afirmam serem eles os autores. “Vamos ver se eles (os irmãos) conseguem produzir alguma prova, pois terão direito ao contraditório e à ampla defesa. O que nós temos até o momento é que eles são realmente os autores desses crimes”, finalizou.

    

Segundo um investigador, Valdir e Vinicius praticaram roubos esporádico, diferente de crimes dessa natureza praticado por usuários de drogas. Um trabalhava até pouco tempo atrás como eletricista numa loja e instaladora da cidade, e o outro que sofre de uma doença hereditária (epilepsia) recebe benefício da Previdência Social. Há alguns meses, os irmãos passaram a morar sozinhos, depois que a mãe deles se mudou da residência. Um policial que vigiava os passos da dupla, anotou que eles passaram a receber a visita de indivíduos que cumprem ou já cumpriram pena por crimes similares e outros delitos.

VINÍCIUS, O MAIS JOVEM, TERIA PRATICADO ROUBO COM BARBA E SEM A BARBA

 

 

 

Fonte: www.correiocentral.com.br