Correio Central
Voltar Notícia publicada em 18/05/2018

Família de rapaz de RO assassinado em Mato Grosso faz campanha para trazer os restos mortais para Vale do Paraíso

Uma rifa será vendida na região, e quem puder ajudar pode depositar qualquer valor em uma conta corrente.

Lancada campanha de arrecadação de familiares de Ezequiel Pemper, o Kielzinho”, 25, que era de Vale do Paraíso, e foi cruelmente assassinado em Campo Novo do Parecis (MT), na área rural do distrito de Marechal Rondon onde trabalhava, pelo ex-militar José Elgy Alves Silva, 31 anos, considerado pela polícia mato-grossense como um dos líderes de uma facção criminosa que torturava suas vítimas, e antes de mata-las tinha prazer de vê-las sofrer e implorar pela vida.

Os restos mortais de Ezequiel estão no Setor de Antropologia forense do IML de Cuiabá. O pai ou o irmão da vítima terão de fazer uma primeira viagem a Cuiabá para fornecer material para a realização do exame de DNA, e depois terão de custear o translado do caixão com os restos mortais do rapaz até Vale do Paraíso.

Além de uma conta corrente para quem puder ajudar com qualquer quantia, familiares e amigos vão realizar uma rifa de um celular Samsung J5 Prime e mais prêmios que serão divulgados no cupom com o número do sorteio.

Os pais de Ezequiel, que são servidores públicos em Vale do Paraíso, querem fazer um empréstimo consignado ou vender um terreno em Ouro Preto a um preço inferior para trazer os restos mortais do filho para enterrar perto deles.

No entanto, amigos da família sugeriram que seja feita a campanha de arrecadação de recursos. Qualquer doação pode ser depositada na conta corrente do Banco do Brasil (agência 1404-4) conta salário 38-507-7 - informações pelo número 69 984398290. 

A família de Ezequiel Pemper garante que o jovem era trabalhador e permanecia a maior parte do tempo em uma fazenda, era responsável e não tinha histórico de envolvimento em crime ou com drogas.

“Não existe nenhuma ocorrência contra ele por nenhum crime na região onde ele estava trabalhando. Ele vinha uma vez por mês na cidade”, defende o irmão.

FAMÍLIA ESTÁ MOBILIZANDO UMA RIFA E CAMPANHA DE DOAÇÕES PARA O TRANSLADO DO CORPO DE KIEL

KIELZINHO FOI BARBARAMENTE ASSASSINADO PELO EX-MILITAR EM MATO GROSSO 

Fonte: www.correiocentral.com.br