Correio Central
Voltar Notícia publicada em 14/03/2016

Polícia de Ouro Preto prende suspeito de furtar arma de vigilante na empresa Mavi

Maycon chegou à empresa e deu um suco artificial para o vigilante que apagou depois de beber o liquido, e só acordou no outro dia de madrugada. O vigilante reconheceu Maycon na Delegacia.

A Polícia Civil de Ouro Preto do Oeste cumpriu nesta segunda-feira um mandado de busca e apreensão numa casa da Rua Paulo VI e prendeu em flagrante Maycon Ferreira Apolinário, 30 anos, que é suspeito de ter praticado na semana passada o furto do revólver do segurança Joesmar de Souza que trabalhava a serviço da empresa de segurança Inviseg Segurança Rondônia LTDA EPP, no galpão da Mavi engenharia, localizada na BR-364, saída para Jaru.


Maycon Ferreira Apolinário é acusado de ter assassinado com 5 tiros Magno José da Silva, em outubro de 2014, no Residencial Colina Park, porque estaria sofrendo ameaças da vítima, que adquiriu um veículo caminhão seu e não pagou.


Na mesma casa, foi apreendido um homem, de iniciais J.M.S., de 28 anos, que disse residir em Vilhena; ele estava de posse de uma motocicleta Honda Biz de cor azul, com a placa adulterada e o número de identificação do chassi adulterado.

Maycon além de ter sido reconhecido pela vítima do furto no galpão da empresa Mavi, estava de posse de 40 munições de pistola 9milimetro marca CBC, uma sacola plástica contendo vários caroços de chumbo, e um projétil calibre 38 intacto.


FURTO DA ARMA

A primeira versão para o furto da arma foi de que, o vigilante levou uma pancada na cabeça por volta de 22h30min da quarta-feira passada, e permaneceu desacordado até as 4h30min de quinta-feira, caído do lado de fora do galpão da empresa. No entanto, a polícia apurou que Maycon na companhia de um comparsa se aproximou do vigilante, e após breve conversa teria dado um frasco de suco artificial (Tampico) para a vítima, e ela bebeu e teria apagado até a madrugada do outro dia.


Maycon negou que tenha praticado o furto, mas confirmou que a quantidade de munição que tinha em seu poder era uma encomenda para uma mulher que reside em Ouro Preto do Oeste. A Polícia Civil conseguiu interceptar fotos de uma pistola ao lado de vasta munição, porém a arma e nem o revólver furtado do vigilante foram localizados.

O comparsa de Maycon gostava de postar fotos no whatsapp portando armas de fogo, mas no momento de sua detenção ele estava desarmado, e acabou liberado.  

40 BALAS DE PISTOLA FORAM APREENDIDAS MAS A ARMA QUE APARECE NA FOTO NÃO FOI LOCALIZADA


O mandado de busca e apreensão foi autorizado pelo Juiz Criminal Haruo Mizusaki, e a operação dos investigadores foi coordenada pelos delegados Roberto dos Santos da Silva e Júlio César de Souza Ferreira, e contou com apoio de Pms do serviço velado da 3ª Cia/OPO.

  

Autor: Edmilson Rodrigues


      UMA MOTONETA BIZ COM PLACA ADULTERADA E CHASSI RASPADO FOI ENCONTRADA NA CASA