Correio Central
Voltar Notícia publicada em 30/05/2018

Caminhoneiro que lidera bloqueio em Rondônia afirma que o movimento é do povo brasileiro


A manifestação de apoio espontânea da população de Ouro Preto do Oeste, ocorrida na noite desta terça-feira (29), aos caminhoneiros estacionados no começo do perímetro urbano da BR-364, foi uma demonstração de que eles se tornaram os novos heróis da Pátria, e apesar dos efeitos colaterais, essa sensação está refletindo para todos os brasileiros, sem distinção de classe e, sobretudo, aos insatisfeitos não apenas com o aumento incessante no preço dos combustíveis, mas também com a ineficiência do Estado em administrar a máquina pública.

Carreatas se formaram na cidade e todos seguiram para o km 387, o ponto de bloqueio número 8 no estado no monitoramento da PRF, que permanece inalterada e resistente desde o primeiro dia do início da paralisação país afora.

Dezenas e centenas de pessoas cantaram o hino nacional várias vezes, e aplaudiram exaustivamente o caminhoneiro que se identificou como Rui Piovezan, um catarinense com leve sotaque, radicado na Bahia, e é um dos coordenadores do bloqueio.  Ele agradeceu a toda comunidade local pelo apoio logístico com doação de alimentos, e pelo chamamento que foi feito há vários dias em prol das demandas da classe.

Rui Piovezan discursou de maneira improvisada e com muita humildade em um som instalado por populares. Ele iniciou afirmando categoricamente que, a sofrida mobilização de paralisação dos caminhoneiros, não tem nada a ver com nenhum tipo de partido político, e pediu que a sociedade não os abandone diante das ‘manobras’ do governo para enfraquecer o movimento.

Aqui, é o movimento de profissionais e do povo brasileiro, do povo rondoniense, do povo de Ouro Preto do Oeste. Aqui, nós estamos lutando não é só pela baixa do petróleo, do óleo diesel da gasolina e do álcool. É (a alta) do botijão de gás, da energia elétrica que é cara e é dos impostos altos que pagamos. É da falta de qualidade do estudo, de educação e de saúde, pontuou o caminhoneiro.

O representante dos caminhoneiros parados na saída da cidade fez um apelo para que a população aproveite esse momento e faça sua parte, convocando o comércio a fecharem as portas, e as instituições e profissionais liberais a se manifestarem nesta quarta-feira na cidade e no campo com protestos pacíficos em prol desse movimento.

Rui disse que se a população não aproveitar esse momento de clamor nacional por mudanças que de fato influenciem na vida do cidadão comum, de nada adiantou todo o esforço. “Em 40 anos de profissão eu nunca vi uma coisa dessa. Isso é uma obra de Deus... Se nós não aproveitarmos e desperdiçar essa chance, nós não vamos ter outras não. Que a paralisação seja contínua, até apresentarem a solução para essas causas”, conclamou.

O caminhoneiro convocou a população da região de Ouro Preto do Oeste a seguir o exemplo do povo de Santa Catarina, de várias partes do Brasil e exemplos de cidades em Rondônia aonde comerciantes fecharam as portas e populares foram às ruas para mostrar seu descontentamento com o curso da economia gerenciada pela classe política.

Pesquisa do Data Folha, publicada pelo jornal Folha de São Paulo na madrugada desta quarta-feira, aponta que 87% dos brasileiros apoiam a paralisação dos caminhoneiros, e apenas 10% se manifestaram contrários ao movimento.

UMA MUTIDÃO FOI AO PONTO DE BLOQUEIO NA BR-364 EM OURO PRETO PRESTAR APOIO AOS CAMINHONEIROS

Fonte: www.correiocentral.com.br - fotos Edmilson Rodrigues