Correio Central
Voltar Notícia publicada em 04/08/2017

Neymar ganhará um salário mínimo a cada 4 minutos e 23 segundos no PSG

O tempo de Neymar vale por ano R$ 111 milhões, por mês R$ 9,25 milhões, por dia R$ 308.333, por hora R$ 12.847, por minuto R$ 214,12 e por segundo R$ 3,56

O PSG, da França, anunciou nesta quinta-feira (3) a contratação de Neymar. O salário astronômico foi um chamariz para que o craque brasileiro aceitasse o novo desafio. Ele receberá por ano a quantia de R$ 111 milhões, difícil de imaginar para o trabalhador brasileiro comum.

Fizemos as contas e as cifras são surreais. Neymar demora apenas 4 minutos e 23 segundos para ganhar R$ 937, o valor do salário mínimo brasileiro. Por dia, ele receberá R$ 308.333, o valor de um ótimo apartamento em algumas capitais brasileiras.

Com um salário mínimo por mês, o trabalhador demoraria 822 anos para juntar os R$ 9,25 milhões que Neymar ganhará em 30 dias de contratos. Veja abaixo alguns números do salário de Neymar comparado com o tempo e também com salários.

Quanto vale o tempo de Neymar

Por ano - R$ 111 milhões

Por mês - R$ 9,25 milhões

Por dia - R$ 308.333

Por hora - R$ 12.847

Por minuto - R$ 214,12

Por segundo - R$ 3,56

* Valor do contrato de Neymar com o PSG

Quanto o do trabalhador de salário mínimo

Por ano - R$ 11.244 (sem o 13º) e R$ 12.181 (com o 13º) - Menos que a hora de Neymar

Por mês - R$ 937

Por dia - R$ 31,2

Por hora - R$ 1,30

Por minuto - R$ 0,02

Quanto tempo o trabalhador levaria para ganhar o salário de Neymar por mês

Salário mínimo (R$ 937) - 822 anos

Salário de R$ 2.500 - 308 anos

Salário de R$ 6.000 - 128 anos

Salário de R$ 12.000 - 64 anos

Salário de R$ 33.763,00 (de um deputado sem os auxílios) - 23 anos

Alegria do fisco francês

Tanto dinheiro chamou a atenção do ministro francês das Contas Públicas, Gérald Darmanin. Ele expressou satisfação com os impostos que Neymar terá que pagar na França.

"É melhor que este jogador pague impostos na França ao invés de pagar em outro lugar", afirmou ao responder uma pergunta sobre a "indecência" do valor da transferência.

"Quando você é ministro, há o dever de defender os interesses do Estado e os interesses do Estado são de que as pessoas paguem impostos na França", completou Darmanin.

Fonte: www.otempo.com.br