Correio Central
Voltar Notícia publicada em 07/06/2017

Morador de Guarapari pede a restauração de monumento da Praça dos Migrantes de Ouro Preto do Oeste


Em visita ao Monumento de figuras emblemáticas da epopeia da colonização entalhadas em uma tora fixada na Praça dos Migrantes na área central de Ouro Preto do Oeste, Daniel Paixão Roque, de 71 anos, um engenheiro mecânico de automóveis, que tem residência fixa na cidade de Guarapari, no estado do Espirito Santo, ficou decepcionado com a cena que presenciou.   

Há duas semanas visitando o filho que é médico e reside em Ouro Preto do Oeste, Daniel Paixão, faz visitas esporádicas à cidade e sempre vai à Praça dos Migrantes visitar o monumento concluído em 15 de abril de 1983 pelo escultor Rômolo Rayga, inspirado no personagem histórico Francisco Pereira Rocha, o “Mingonga”, soldado da borracha que morreu um ano antes, em 1982, atropelado por um veículo na BR-364, próximo ao posto Dom Bosco. “Fiquei assustado de como é que está judiado. E é cupim que é fácil combater”, exclamou.

Ao lamentar a deterioração, Daniel Paixão observa no Monumento detalhes importantes da colonização regional que poucos habitantes locais contemplam, como as imagens talhadas na tora do caçador, do seringueiro, do indígena, o colhedor de cacau, representando fielmente a história local. “O Chevrolet Brasil (dos anos 70) era o caminhão da época, o escultor retratou muito bem mesmo. Pioneiros caminhando a pé com um embornal nas costas. Tem que restaurar esse monumento que isso representa totalmente a história de Rondônia. É só recuperar, ter o cuidado com o cupim, trocar o telhado”, sugeriu. 

O capixaba disse que vai morar por um ano em Ouro Preto do Oeste e quer ver. Ontem eu fiquei decepcionado, eu conhecia esse monumento sempre gostei dele. Não acredito que está tão acabado por uma coisa tão básica como é o cupim, não custa nada para recuperar. O telhado também está acabado, tá abandonado né, isso aqui é a história dos pioneiros daqui”, concluiu.

PREFEITURA VAI RESTAURAR

A gestão do atual planeja restaurar monumentos e logradouros antigos da cidade de Ouro Preto do Oeste, o prefeito Vagno Panisoly demonstrou boa vontade em elencar projetos dessa natureza no primeiro mês de seu mandato, diferente dos administradores anteriores que deixaram o cupim, o tempo e o vandalismo consumir memoriais da história local.

 André Henrique, auxiliar assistente do Gabinete da administração, disse que a tora, atribuindo-a com nome de “pau do Mingonga”, não está podre por dentro, sustentou que avaliação feita pela SEMINFRA certificou que os cupins só consomem por fora, e afirmou que a prefeitura pretende restaurar o monumento e a Pedra Fundamental da praça antiga.

André disse que a restauração vai demandar de 15 dias de trabalho, e o serviço será executado por servidores municipais. “Estamos aguardando porque depende da Seminfra para a reforma do monumento e a pedra fundamental original, os projetos estão prontos, até porque o prefeito deu o ok e aprovou a reforma”, assegurou.

 

Fonte: www.correiocentral.com.br - fotos Edmilson Rodrigues