Correio Central
Voltar Notícia publicada em 08/03/2017

MPA e MST protestam em Ouro Preto do Oeste contra a Reforma da Previdência rural

A marcha seguiu até a sede do INSS de Ouro Preto, onde os camponeses permanecem até às 14 horas

 Centenas de agricultores e familiares fizeram uma marcha na manhã desta quarta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, pelas principais ruas de Ouro Preto do Oeste em protesto contra a reforma da previdência rural, e a caminhada terminou em frente o prédio onde funciona a unidade regional da Previdência Social, aonde os manifestantes pretendem permanecer até às 14 horas.

 A manifestação ocorre de maneira pacífica, e é organizada pelo Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) com o MST e a Via Campesina, e segundo os coordenadores em torno de 400 agricultores e agricultoras dos seis municípios da região de Ouro Preto, de Jaru, Ji-Paraná, Vale do Anari e de Machadinho do Oeste que defendem o “Plano Camponês, Aliança Camponesa e Operária por Soberania Alimentar” se deslocaram nas caravanas em vários ônibus para a marcha.

Além do protesto contra a reforma da previdência, agricultores também carregam faixas e cartazes em alusão ao Dia Internacional da Mulher. De acordo com Vandeir Pereira Leite, um dos coordenadores do MPA em Rondônia, os agricultores da região central de Rondônia obedecem à agenda de manifestações que ocorrem hoje em todo o país, para chamar a atenção para as perdas que os trabalhadores rurais, sobretudo aqueles que recebem menos, terão com a reforma em curso.

Na manifestação, as mulheres gritam palavras de ordem contra a mudança na idade mínima para aposentaria feminina, que subirá dos 55 anos atuais para 65 anos. “As mulheres do campo, que trabalham arduamente na terra para produzir alimentos, serão as mais prejudicadas”, se queixou uma protestante.

MARCHA DO PROTESTO SEGUIU ATÉ A SEDE DO INSS EM OURO PRETO DO OESTE

 

Fonte: Por Edmilson Rodrigues