Correio Central
Voltar Notícia publicada em 29/07/2019

Em RO, IDARON convoca criadores de Suínos, Ovinos e Caprinos para recadastro dos animais

Criador terá que informar a origem, o destino e o estoque de animais na propriedade, como é feito no controle de bovinos e bubalinos.

A Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (IDARON), através da Diretoria Técnica, inicia na próxima semana o recadastramento de Suínos, Ovinos e Caprinos em todas as propriedades rurais do estado.

O recadastramento inicia a partir do dia 2 de agosto, próxima sexta-feira e é obrigatório uma vez que, a partir do dia 2 de setembro, a emissão de GTA’s para essas espécies somente será possível para propriedades rurais que estiverem regularizadas.

Os criadores terão que discriminar na GTA (Guia de Trânsito Animal) a quantidade de animais existentes na propriedade. Atualmente, na ficha do produtor é fornecida apenas a origem e o destino do animal. Com o recadastramento, o criador terá que informar a origem, o destino e o estoque de animais na propriedade, igual como é feito o controle de bovinos e bubalinos.

A partir de setembro, o produtor que quiser transitar um carneiro ou um porco de sua propriedade para outro local tem que estar regularizado.  

O cadastro que será feito pela IDARON é um importante passo no processo em curso de suspensão da vacinação contra febre aftosa em Rondônia. Trata-se de uma exigência do Ministério da Agricultura (MAPA) para que se tenha o controle e o estoque de animais nas propriedades que são suscetíveis a febre aftosa.

Os criadores vão receber um formulário prático nos próximos dias para preenchimento da origem, idade e o total de machos e fêmeas existentes na chácara, sítio e ou fazenda.

 

Carneiros, caprinos e suínos não são vacinados e essa condição os torna “sentinelas” da moléstia animal, pois em caso do surgimento da doença esses animais serão os primeiros a serem contaminados e o proprietário consequentemente fará a comunicação junto à IDARON.

Peterson Piovezan, que é o supervisor regional da IDARON em Ji-Paraná esclarece que, o cadastramento de Suínos, Ovinos e Caprinos visa permitir que o GTA forneça a origem e o destino do animal, para ter o controle em caso de surgir alguma suspeita de doença contagiosa quando o Estado de Rondônia estiver livre da vacinação antiaftosa.

“A ideia é a gente ter o controle no futuro, caso venha a ocorrer um foco de aftosa, através do banco de dados para que seja feito com precisão o rastreamento dos animais, de maneira que a IDARON possa filtrar, investigar e fazer o bloqueio sanitário em caso de qualquer atipicidade que possa surgir”, explica Peterson.

O GTA é a ferramenta indispensável no controle da vigilância epidemiológica exercida pela IDARON. A inclusão na emissão de GTA do estoque e o destino de Suínos, Ovinos e Caprinos na guia que já é emitida é além de medida de segurança, uma recomendação do Mapa que vem a assegurar a condição a Rondônia de Estado livre da febre aftosa.   

Fonte: www.correiocentral.com.br